BCE

Na hora do adeus, Constâncio preocupado com “caminho” da união bancária

Vitor Constâncio. Fotografia: REUTERS/Darrin Zammit Lupi
Vitor Constâncio. Fotografia: REUTERS/Darrin Zammit Lupi

O vice-presidente do Banco Central Europeu afirma que países do sul têm contribuído para o projeto de união bancária.

Vitor Constâncio afirma que os países do sul implementaram reformas suficientes para acelerar a união bancária, numa crítica ao “arrastamento” da Alemanha. O aviso foi deixado na última entrevista como vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), avança o Financial Times, esta quarta-feira.

O ainda vice-presidente do Banco Central Europeu, que deixará o cargo no final de maio, manifestou a sua preocupação com o pouco progresso a ser apresentado na cimeira europeia que acontecerá em Bruxelas nos dias 28 e 29 de junho.

“Alcançámos uma redução de risco suficiente para justificar a introdução de elementos comuns de partilha de risco no projeto de união bancária”, disse Vitor Constâncio ao mesmo jornal, referindo-se às medidas adotadas por países como Espanha, Grécia e Portugal.

Uma iniciativa liderada por França sugere um esquema de seguro de depósitos em toda a zona euro, assim como um ministro das finanças e orçamento comuns, de modo a fortalecer as defesas económicas da região. No entanto, a Alemanha e mais alguns países do norte da Europa estão preocupados que tais medidas possam transferir recursos para países que consideram esbanjadores.

O ainda vice-presidente do Banco Central Europeu acha que da cimeira vai resultar apenas “algum tipo de compromisso de longo prazo” sobre o esquema de seguro de depósitos, em vez de uma decisão firme de avançar com o plano. Vitor Constâncio acrescenta ainda que espera que se avance com a criação do Fundo Único de Resolução, uma base fiscal para o fundo de resgate bancário da zona euro.

Já há vários anos que António Costa tem defendido a importância da união bancária que só estará completa, segundo o primeiro-ministro, até ser assegurado o sistema europeu de garantia de depósitos. Esta posição foi defendida há dois anos, no âmbito da conferência “O presente e o futuro do sector bancário”.

E depois do BCE?

À semelhança de Ben Bernake, ex-presidente da Reserva Federal dos Estados Unidos, Vitor Constâncio vai criar um blog dedicado à temática da economia. Além desta faceta, Constâncio vai lecionar uma pós-graduação em economia, em Madrid.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lisboa, 19/10/2018 - Pedro Marques, ministro do Planeamento e das Infraestruturas, fotografado nos estúdios da TSF antes da entrevista “A Vida do Dinheiro” do DV/TSF
( Gustavo Bom / Global Imagens )

Pedro Marques. “Investimento vai crescer 34% só no meu ministério”

venda-carros-novos-consumidor-2017-apresenta-leve-queda-album-886d083d8a98b46c22c0d6c819efd2597e8ce6fb

ASFAC: Crédito ao consumo mais caro vai afetar consumidores

Mário Centeno, ministro das Finanças. (Fotografia: Pedro Rocha / Global Imagens)

Ajustamento de Centeno será o terceiro maior do euro

Outros conteúdos GMG
Na hora do adeus, Constâncio preocupado com “caminho” da união bancária