Bolsa

Ações da Apple cada vez mais perto de bater recorde histórico

Fotografia:   REUTERS/Regis Duvignain
Fotografia: REUTERS/Regis Duvignain

A Apple está muito próxima de bater o recorde histórico em bolsa

As ações da Apple continuam em alta, depois de esta segunda-feira terem fechado num novo máximo histórico, nos 133,29 dólares. Os títulos da empresa da maçã estão esta terça-feira a subir mais de 0,7% e já atingiram a marca dos 134,38 dólares.

A tecnológica criada por Steve Jobs voltou hoje a ultrapassar a marca dos 700 mil milhões de dólares em termos de capitalização bolsista, com um valor de mercado de 703,57 mil milhões de dólares (662,28 mil milhões de euros). A primeira vez que a tecnológica atingiu a marca foi em fevereiro de 2015.

Desde a Oferta Pública Inicial, a capitalização bolsista da marca da maçã disparou 6939%, segundo as contas da corretora XTB.

A valorização dos títulos da Apple foi ontem impulsionada por uma nota da Goldman Sachs, segundo a qual as ações da Apple vão chegar aos 150 dólares. O otimismo em torno do lançamento do novo iPhone é geral entre os analistas.

“A ação da gigante tecnológica norte americana é um ativo para deter em carteira durante esta primeira metade de 2017, cativando os investidores pela boa perspetiva de vendas para os iPhones, que se considera estarem num super ciclo de vendas, o que a par da repatriação de capital distribuído pelo globo, que representa 230 mil milhões de dólares e possibilita uma folga financeira confortável para a Apple, gera continuação de oportunidades compradoras neste título que atingiu ontem máximos históricos”, destaca José Correia, gestor da corretora XTB.

Na sessão de segunda-feira as ações chegaram a tocar os 133,82 dólares, perto do máximo histórico registado em abril de 2015, quando os títulos da empresa chegaram a negociar nos 134,54 dólares.

Desde que a Apple entrou em bolsa, a 12 de dezembro de 1980, o valor das ações registou uma valorização próxima dos 26 000%, um valor sem precedentes numa empresa cotada.

O valor inaugural das ações em bolsa foi de 22 dólares, sendo que logo no primeiro dia de negociação os títulos fecharam a valer 29 dólares. Desde então a empresa já fez quatro “stock splits”, ou seja, dividiu as ações. Em 1987, 2000 e 2005 cada ação foi dividida em dois, e em 2014 cada título passou a representar sete ações.

O que significa que por cada ação comprada no final de 1980, um acionista seria hoje detentor de 56 títulos da Apple.

Desde o início do ano os títulos da Apple já recuperaram cerca de 15% e a expectativa para 2017 é grande. No ano em que se completa uma década desde o lançamento do iPhone, são muitos os rumores que giram em torno do novo equipamento que a empresa vai lançar este ano. Um ecrã com tecnologia OLED ou o carregamento sem fios são algumas das características esperadas.

Só no último trimestre do ano passado foram vendidos 78,29 milhões de iPhones, um aumento face aos 74,78 milhões do período homólogo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Mário Centeno. Fotografia: Mário Cruz/Lusa

BdP: Tribunal da Relação é que pode ordenar levantamento do sigilo sobre BES

Ricardo Salgado

Banco de Portugal aplica nova coima a Ricardo Salgado

A ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Mariana Vieira da Silva TIAGO PETINGA/POOL/LUSA

Governo. Mudanças de horários são “cirúrgicas” e não preveem turnos

Ações da Apple cada vez mais perto de bater recorde histórico