Ações da Galp lideram quedas e pressionam PSI20

Antes da abertura dos mercados, a Galp comunicou que registou prejuízos de 42 milhões de euros em 2020.

A bolsa de Lisboa segue esta segunda-feira em queda, mantendo a tendência da abertura e das principais congéneres europeias, com as ações da Galp a pressionarem as negociações.

Na sexta-feira, o índice de referência, o PSI20, destacou-se nas subidas registadas nas praças europeias ao fechar a sessão com uma subida de 2,40% para 4.817,97 pontos no índice PSI20, com a Semapa a liderar os ganhos.

Hoje, pelas 9:00, o PSI20 seguia a recuar 0,98% para 4.770,86 pontos, com 13 ações em baixa, quatro em alta e uma inalterada.

As ações da Galp eram as que mais pressionavam a sessão, com uma queda de 3,45% para 9,17 euros, depois da empresa ter anunciado, antes da abertura dos mercados, que em 2020 teve um resultado negativo de 42 milhões de euros, comparando com os 560 milhões de lucro conseguido no ano anterior, valores que mostram os desafios impostos ao setor pela pandemia.

Os pesos pesados BCP e Jerónimo Martins seguiam a recuar 1,28% e 0,92% para 0,12 euros e 12,88 euros, enquanto a EDP descia 0,73% para 4,73 euros.

Do lado dos ganhos, seguiam a Novabase e a Altri na liderança, com os títulos a avançarem 3,90% e 0,42% para 4,00 euros e 0,42 euros.

As principais bolsas europeias abriram hoje em baixa, pendentes de indicadores da Alemanha, enquanto sobem os receios face a um aumento da inflação.

Os mercados abriram cautelosos na Europa, depois de terem subido os receios com um aumento da taxa de inflação, resultante das palavras da secretária de Estado do Tesouro, Janet Yellen, que reiterou que o Governo dos Estados Unidos considera que a economia do país precisa de medidas de estímulo sustentadas.

Hoje, os investidores vão estar pendentes da publicação do boletim mensal de fevereiro do Bundesbank e do indicador de confiança empresarial na Alemanha do Instituto de Investigação Económica alemão (Ifo).

A nível cambial, o euro abriu hoje em baixa no mercado de câmbios de Frankfurt, a cotar-se a 1,2109 dólares, contra 1,2119 dólares na sexta-feira e o atual máximo desde maio de 2018, de 1,2300 dólares, em 05 de janeiro.

O barril de petróleo Brent para entrega em abril abriu em alta no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, a cotar-se a 63,46 dólares, contra 62,91 dólares na quinta-feira e o atual máximo desde maio de 2019, de 64,34 dólares, em 17 de fevereiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de