Bolsa

Ações dos CTT afundam 21% após resultados abaixo do esperado

Francisco Lacerda, presidente dos CTT

Fotografia: Manuel de Almeida/Lusa
Francisco Lacerda, presidente dos CTT Fotografia: Manuel de Almeida/Lusa

A evolução do EBITDA levou ainda a administração a propor aos acionistas um dividendo de 0,38 euros por ação em 2017

As contas dos CTT surpreenderam o mercado e as consequências são visíveis. Na sessão bolsista desta quarta-feira, os títulos da empresa liderada por Francisco Lacerda estão a tombar 21% para 3,97 euros por ação, o valor mais baixo de sempre. No arranque do ano, os títulos dos CTT valiam mais de 6,6 euros.

Os CTT revelaram ontem uma queda dos lucros de 57,6% para 19,5 milhões de euros nos primeiros nove meses de 2017. A empresa justificou os ganhos abaixo do esperado com a perda das receitas da Altice, a queda acentuada do tráfego de correio e com “os gastos associados ao processo de ajustamento das redes ao crescimento acelerado do Banco CTT e do negócio de Expresso e Encomendas”.

A situação levou os CTT a reduzir as estimativas para os próximos trimestres, tendo cortado em 20% o “guidance” inicial de EBITDA indicado para 2017. Face à “pressão relevante” sobre o EBITDA consolidado para este ano, os CTT estão a trabalhar em “medidas de reajuste da capacidade instalada às reais necessidades operacionais que permitam uma redução relevante de gastos a serem apresentadas até ao final do ano”.

A evolução do EBITDA levou ainda a administração a propor aos acionistas um dividendo de 0,38 euros por ação em 2017, menos 0,10 euros face ao ano passado.

Segundo os analistas do Haitong, os resultados dos CTT foram “obviamente muito negativos”. Numa nota de análise, o banco de investimento sublinha já não se sentir “confortável” com a classificação para “comprar” os títulos dos CTT. “Vemos que existe um claro problema do lado dos custos dos CTT e não temos a certeza de que a administração será capaz de resolver as coisas num período de tempo razoável”, destaca o Haitong.

A empresa vai realizar amanhã uma “conference call” com analistas para explicar os resultados.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Mercados

FMI. Dívida de alto risco faz soar os alarmes

Ministro das Finanças de Angola, Archer Mangueira. Fotografia: Direitos Reservados

Archer Mangueira garante solução para dívida a empresas até final do ano

António Costa, primeiro-ministro, e Mário Centeno, ministro das Finanças, num debate parlamentar sobre o OE2019. Fotografia: REUTERS/Rafael Marchante

Outras touradas do Orçamento: as medidas mais arriscadas

Outros conteúdos GMG
Ações dos CTT afundam 21% após resultados abaixo do esperado