Bolsa

Bolsa de Lisboa abre a cair 0,62%

Fotografia: Paulo Spranger/Global Media
Fotografia: Paulo Spranger/Global Media

Ibersol e Nova Base lideravam perdas no arranque

A Bolsa de Lisboa abriu em terreno negativo, com o principal índice, o PSI20, a cair 0,62%, para os 4.424,44 pontos.

Na terça-feira, o PSI20 contrariou as principais praças europeias e fechou ao subir 1,02% para 4.452,22 pontos, com as ações das empresas do grupo EDP a fecharem com ganhos superiores a 4%.

Cerca das 09:00 em Lisboa, o principal índice da bolsa, o PSI20, mantinha a tendência e descia 0,29% para 4.439,47 pontos, com 13 ‘papéis’ a desvalorizarem-se, três a subirem e dois inalterados (Corticeira Amorim e Semapa).

Aos ‘papéis’ da Ibersol e da Novabase seguiam-se os da EDP, que registavam perdas de 0,93% para 4,48 euros. As ações da EDP Renováveis também estavam a cair, designadamente 0,46% para 13,10 euros.

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) levantou na terça-feira a suspensão da negociação das ações da EDP e da EDP Renováveis, que vigorava desde segunda-feira à tarde.

Na segunda-feira, António Mexia, presidente da EDP, e João Manso Neto, presidente da EDP Renováveis, foram suspensos de funções na empresa como medida de coação decidida pelo juiz Carlos Alexandre no caso EDP.

Posteriormente, a EDP anunciou que o administrador financeiro da empresa, Miguel Stilwell de Andrade, passou a presidente interino, substituindo António Mexia, enquanto a EDP Renováveis nomeou Rui Manuel Rodrigues Lopes Teixeira como novo membro da Comissão Executiva e administrador-delegado, na sequência da suspensão de João Manso Neto.

As ações dos CTT, Sonae SGPS e Altri eram outras das que mais desciam, estando a perder 0,89% para 2,22 euros, 0,77% para 0,64 euros e 0,61% para 4,25 euros, respetivamente.

Em contrapartida, em sentido inverso, as ações da REN, Jerónimo Martins e Navigator eram as únicas que subiam, estando a ganhar 0,81% para 2,48 euros, 0,40% para 14,88 euros e 0,28% para 2,17 euros.

Na Europa, as principais bolsas abriram hoje em baixa, com medo de que a recuperação económica seja mais lenta do que o previsto devido à propagação da covid-19.

Num dia sem referências económicas relevantes, os investidores estão atentos à reunião dos presidentes das instituições da União Europeia para impulsionar a negociação do plano de recuperação europeu face à pandemia da covid-19.

A bolsa de Wall Street fechou em baixa na terça-feira, com o Dow Jones a cair 1,51% para 25.890,18 pontos, contra 29.551,42 pontos em 12 de fevereiro, atual máximo desde que foi criado em 1896.

No mesmo sentido, também na terça-feira, o Nasdaq fechou a recuar 0,86% para 10.343,89 pontos, contra o atual máximo de sempre, de 10.433,65 pontos, registado em 6 de julho.

A nível cambial, o euro abriu hoje em baixa no mercado de câmbios de Frankfurt, mas a cotar-se a 1,1286 dólares, contra 1,1290 dólares na terça-feira.

O barril de petróleo Brent para entrega em setembro abriu com tendência negativa, mas a cotar-se a 42,86 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, contra 43,08 dólares na terça-feira.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa, intervém durante a cerimónia de assinatura de declaração de compromisso de parceria para Reforço Excecional dos Serviços Sociais e de Saúde e lançamento do programa PARES 3.0, no Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, em Lisboa, 19 de agosto de 2020. ANDRÉ KOSTERS/LUSA

“Na próxima semana podemos chegar aos 1000 casos por dia”, avisa Costa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. FILIPE FARINHA/LUSA

Marcelo promulga descida do IVA da luz consoante consumos

Fotografia: Fábio Poço/Global Imagens

Apoio a rendas rejeitado devido a “falha” eletrónica

Bolsa de Lisboa abre a cair 0,62%