Mercados

Bolsa de Lisboa em alta ligeira com EDP Renováveis a subir e CTT a recuar

Bolsa de Lisboa
Bolsa de Lisboa

A bolsa de Lisboa estava esta terça-feira a negociar em alta ligeira, com as ações da EDP Renováveis a subirem 1,38% para 10,32 euros e as dos CTT a recuarem 2,55% para 3,20 euros.

Cerca das 11:10 em Lisboa, o principal índice da bolsa, o PSI20, subia 0,08% para 5.225,11 pontos, com nove ‘papéis’ a recuarem, sete a valorizarem-se e dois inalterados (Corticeira Amorim e Semapa).

As ações da Galp, Sonae Capital e EDP eram outras das que mais se valorizavam, designadamente 0,99% para 14,85 euros, 0,90% para 0,79 euros e 0,66% para 3,82 euros.

Em sentido contrário, as cotações das ações da Sonae Capital, Jerónimo Martins e Ramada Investimentos desciam respetivamente 1,12% para 0,93 euros, 1,04% para 14,68 euros e 1,02% para 5,82 euros.

Na Europa, as principais bolsas europeias estavam em baixa, com os investidores preocupados com a ameaça do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, de não estender o período de transição da saída do país da União Europeia.

A bolsa de Nova Iorque terminou na segunda-feira com o Dow Jones a subir 0,36% para 28.235,89 pontos, um novo máximo de sempre desde que foi criado em 1896.

No mesmo sentido, o Nasdaq fechou a avançar 0,91% para um novo máximo de 8.814,23 pontos.

A nível cambial, o euro abriu hoje em baixa no mercado de câmbios de Frankfurt, a cotar-se a 1,1134 dólares, contra 1,1143 dólares na segunda-feira.

O barril de petróleo Brent para entrega em fevereiro de 2020 também abriu hoje em baixa, a cotar-se a 65,31 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, contra 65,39 dólares na segunda-feira.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Gustavo Bom/Global Imagens

Não conseguiu validar as faturas para o IRS? Contribuintes têm mais um dia

O ministro das Finanças, Mário Centeno, na apresentação das obras de arte da coleção BPN, agora integradas na Coleção do Estado, no Forte de Sacavém. Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Fundo de Resolução já pagou em juros 530 milhões ao Estado e 90 milhões a bancos

(Filipe Amorim / Global Imagens)

Venda do Novo Banco é “um não-assunto” para o Fundo de Resolução

Bolsa de Lisboa em alta ligeira com EDP Renováveis a subir e CTT a recuar