Mercados financeiros

Bolsa de Lisboa em alta numa Europa sem tendência definida

REUTERS/Simon Dawson
REUTERS/Simon Dawson

A bolsa de Lisboa está a negociar em alta, numa Europa sem uma tendência definida. Os preços do petróleo nos mercados internacionais estão em queda.

A bolsa de Lisboa está a negociar em terreno positivo nesta quinta-feira, 4 de julho. O PSI-20, às 8:08, subia 0,20% para 5.190,99 pontos. Entre as principais cotadas, destaque pela positiva para o BCP, que avançava 0,93% para 28,31 cêntimos, Galp Energia, que ganhava 0,19% para 13,305 euros, e Sonae, que ganhava 0,58% para 86,35 cêntimos. Por outro lado, e a travar maiores ganhos dos principal índice nacional, estavam empresas como as do grupo EDP e a Jerónimo Martins.

A elétrica liderada por António Mexia deslizava 0,38% para 3,433 euros, enquanto a EDP Renováveis cedia 0,33% para 9 euros. Já a retalhista liderada por Pedro Soares dos Santos 0,36% para 13,95 euros.

No resto das praças bolsistas europeias, não se verifica uma tendência definida, com Londres e Madrid do lado das perdas enquanto Paris e Frankfurt acompanham o sentimento positivo de Lisboa. A atenção dos investidores continua voltada para as negociações entre os EUA e a China, que podem colocar um ponto final nas tensões comerciais entre as duas maiores economias do mundo. Entretanto, e nas últimas horas, o presidente norte-americano utilizou a rede social Twitter para acusar a Europa e a China de manipulação cambial.

A sessão bolsista na Ásia também não teve um rumo definido. Em Tóquio, o Nikkei terminou o dia com ganhos de 0,30% e o Topix valorizou 0,65%. Nas praças chinesas, o dia está a ser de perdas ligeiras.

Nota ainda para o comportamento do petróleo nos mercados internacionais. Os preços da matéria-prima estão em queda tanto em Londres como em Nova Iorque. O barril de Brent do Mar do Norte, referência para Portugal e transacionado em Londres, negoceia nos 63,11 dólares.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
João Leão e Mário Centeno. Foto: Tiago Petinga/Lusa

Governo impõe aumento de 0,3% na função pública. Impacto pode ser de 70 milhões.

João Leão e Mário Centeno. Foto: Tiago Petinga/Lusa

Governo impõe aumento de 0,3% na função pública. Impacto pode ser de 70 milhões.

Christine Lagarde, presidente do BCE. Fotografia: REUTERS/Johanna Geron

Lagarde corta crescimento da zona euro para apenas 1,1% em 2020

Outros conteúdos GMG
Bolsa de Lisboa em alta numa Europa sem tendência definida