Bolsa de Lisboa em baixa, com EDP Renováveis a cair mais de 1,3%

Além dos títulos da EDP Renováveis, os da Mota-Engil, Ramada Investimentos e EDP eram outros dos que mais recuavam.

A bolsa de Lisboa estava esta terça-feira em baixa, a manter a tendência da abertura, com a EDP Renováveis a cair 1,31% para 21,04 euros.

Cerca das 09:40 em Lisboa, o principal índice da bolsa, o PSI20, recuava 0,17% para 5.210,44 pontos, com oito 'papéis' a descerem, sete a subirem e três inalterados (Altri em 5,34 euros, Ibersol em 5,86 euros e Semapa em 11,58 euros).

Além dos títulos da EDP Renováveis, os da Mota-Engil, Ramada Investimentos e EDP eram outros dos que mais recuavam, já que se desvalorizavam 0,72% para 1,37 euros, 0,68% para 5,86 euros e 0,57% para 4,74 euros.

As ações da REN e dos CTT recuavam 0,42% para 2,38 euros e 0,38% para 5,19 euros.

Em sentido contrário, os títulos da Jerónimo Martins, Novabase e Pharol subiam 1,01% para 16,95 euros, 0,88% para 4,61 euros e 0,38% para 0,11 euros.

Na Europa, as principais bolsas estavam hoje em baixa, à espera da taxa de inflação dos Estados Unidos em junho.

Além da taxa de inflação nos EUA em junho, na sessão de hoje os investidores vão estar pendentes da reunião dos ministros da Economia e Finanças da União Europeia (UE), que deverão aprovar os primeiros 12 planos de recuperação nacionais, dando assim 'luz verde' para que as primeiras ajudas do fundo de recuperação da covid-19 sejam recebidas.

Hoje também será conhecida a taxa de inflação na Alemanha, enquanto nos EUA arranca a temporada de apresentação dos resultados do segundo trimestre nos EUA, com as contas do JP Morgan e Goldman Sachs.

Os analistas esperam uma forte subida dos lucros graças à recuperação económica nos Estados Unidos.

No mercado de matérias-primas, o Brent abriu em alta, à espera do relatório mensal do mercado petrolífero da Agência Internacional de Energia (AIE).

A bolsa de Nova Iorque terminou em alta na segunda-feira, com o Dow Jones a subir 0,36% para 34.996,18 pontos, um novo máximo desde que foi criado em 1896.

No mesmo sentido, o Nasdaq fechou a valorizar-se 0,21% para 14.733,24 pontos, novo máximo.

A nível cambial, o euro abriu em baixa no mercado de câmbios de Frankfurt, a cotar-se a 1,1855 dólares, contra 1,1858 dólares na segunda-feira e o atual máximo desde maio de 2018, de 1,2300 dólares, em 05 de janeiro.

O barril de petróleo Brent para entrega em setembro abriu em alta no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, a cotar-se a 75,42 dólares, contra 75,16 dólares na segunda-feira e o atual máximo desde pelo menos o início de 2018, de 77,16 dólares verificado em 05 de julho.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de