Mercados

Bolsa de Lisboa em baixa, com NOS a cair mais de 7%

Miguel Almeida, CEO da NOS
Miguel Almeida, CEO da NOS

Na Europa, as principais bolsas abriram em alta, depois das autoridades norte-americanas terem sublinhado que é necessário novo pacote de estímulos.

A bolsa de Lisboa mantinha hoje a tendência de baixa da abertura, com as ações da NOS a lideraram as perdas, a caírem 7,31% para 10,44 euros.

Cerca das 08:55 em Lisboa, o principal índice da bolsa, o PSI20, recuava 0,84% para 4.353,52 pontos, com cinco ‘papéis’ a descerem, 10 a subirem e três inalterados (Sonae Capital, Ibersol e Mota-Engil).

Além das ações da NOS, que está hoje a negociar em ex-dividendo, os títulos que mais desciam eram os da Novabase, EDP Renováveis e Jerónimo Martins, que registavam perdas de 1,29% para 3,07 euros, 0,98% para 12,18 euros e 0,74% para 15,47 euros.

Em sentido inverso, as ações da Galp, Semapa e Pharol lideravam as subidas, já que estavam a valorizar-se 1,41% para 10,44 euros, 0,87% para 8,16 euros e 0,78% para 0,10 euros.

Na Europa, as principais bolsas abriram hoje em alta, depois das autoridades norte-americanas terem sublinhado que é necessário um pacote de estímulo orçamental adicional.

Na terça-feira, a bolsa de Nova Iorque terminou com o Dow Jones a subir 0,85% para 25.812,88 pontos, contra 29.551,42 pontos em 12 de fevereiro, atual máximo desde que foi criado em 1896.

No mesmo sentido, o Nasdaq fechou a avançar 1,87% para 10.058,77 pontos, contra o atual máximo de 9.817,18 pontos em 19 de fevereiro.

A nível cambial, o euro abriu hoje em baixa no mercado de câmbios de Frankfurt, a cotar-se a 1,1230 dólares, contra 1,1243 dólares na terça-feira.

O barril de petróleo Brent para entrega em setembro abriu com tendência positiva, a cotar-se a 41,86 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, contra 41,27 dólares na quarta-feira.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Paschal Donohoe

Sucessor de Centeno: Irlandês Donohoe surpreende e bate espanhola Calviño

O Ministro das Finanças, João Leão. EPA/MANUEL DE ALMEIDA

Défice de 2020 vai ser revisto para 7%. Agrava previsão em 0,7 pontos

Comissário Europeu Valdis Dombrovskis. Foto: STEPHANIE LECOCQ / POOL / AFP)

Bruxelas acredita que apoio a empresas saudáveis estará disponível já este ano

Bolsa de Lisboa em baixa, com NOS a cair mais de 7%