Bolsa de Lisboa em baixa empurrada pela queda de 1,4% do BCP

Na Europa, as principais bolsas europeias abriram em baixa, à espera da taxa de inflação da zona euro em junho e de indicadores do emprego dos Estados Unidos.

A bolsa de Lisboa estava esta quarta-feira em baixa, com as ações do BCP a cair 1,46% para 0,13 euros.

Cerca das 9:00 em Lisboa, o principal índice da bolsa, o PSI20, recuava 0,50% para 5.058,14 pontos, com 11 'papéis' a descerem, quatro a subirem e três inalterados (Ibersol em 6,02 euros, Pharol em 0,10 euros e Ramada Investimentos em 5,94 euros).

Além dos títulos do BCP, os da EDP e EDP Renováveis eram outros dos que mais desciam, já que se desvalorizavam 0,79% para 4,55 euros e 0,66% para 19,64 euros.

As ações da Mota-Engil, dos CTT e da Sonae SGPS também recuavam, designadamente 0,50% para 1,40 euros, 0,41% para 4,86 euros e 0,31% para 0,80 euros.

Em sentido contrário, os títulos da Novabase, Corticeira Amorim e Semapa subiam 1,20% para 4,20 euros, 0,77% para 10,50 euros e 0,52% para 11,64 euros.

Na Europa, as principais bolsas europeias abriram hoje em baixa, à espera da taxa de inflação da zona euro em junho e de indicadores do emprego dos Estados Unidos.

Na terça-feira, os investidores ficaram animados com indicadores dos EUA, incluindo o índice de confiança dos consumidores, que foi melhor que o esperado.

Contudo, os investidores continuam cautelosos com o aumento da variante Delta do novo coronavírus, que já provocou a imposição de novos confinamentos em alguns países para a travar.

Analistas citados pela Efe referem que os investidores vão manter-se atentos ao ritmo de vacinação e à expansão de novas variantes do novo coronavírus.

A bolsa de Nova Iorque terminou em alta na terça-feira, com o Dow Jones a subir 0,03% para 34.292,29 pontos, contra o atual máximo de sempre desde que foi criado em 1896, de 34.777,76 pontos, registado em 07 de maio.

No mesmo sentido, o Nasdaq fechou a valorizar-se 0,19% para 14.528,34 pontos, um novo máximo.

A nível cambial, o euro abriu em alta no mercado de câmbios de Frankfurt, a cotar-se a 1,1900 dólares, contra 1,1896 dólares na terça-feira e o atual máximo desde maio de 2018, de 1,2300 dólares, em 05 de janeiro.

O barril de petróleo Brent para entrega em agosto abriu também em alta no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, a cotar-se a 74,82 dólares, contra 74,76 dólares na terça-feira e o máximo desde pelo menos o início de 2019, de 76,19 dólares, em 25 de junho.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de