Bolsa de Lisboa no vermelho

O PSI20 estava a recuar 0,09%, com seis papéis a subirem, 11 a descerem e dois a manterem a cotação.

A bolsa de Lisboa estava esta quarta-feira em baixa, invertendo a tendência de abertura, recuando 0,09%, com as ações da Ibersol a caírem 2,62% para 4,64 euros e as da Novabase 1,28% para 4,62 euros.

Cerca das 9:00 em Lisboa, o principal índice da bolsa, o PSI20, recuava 0,09% para 5.677,69 pontos, com seis "papéis" a subirem, 11 a descerem e dois a manterem a cotação (Corticeira Amorim em 11,74 euros e Semapa em 12,30 euros).

Os títulos da Greenvolt e da Altri também se desvalorizaram, designadamente 1,02% para 6,78 euros e 0,60% para 5,78 euros.

As ações da REN, BCP e CTT eram outras das que mais caíam, estando a descer 0,60% para 2,49 euros, 0,50% para 0,16 euros e 0,36% para 4,20 euros, respetivamente.

Ramada (menos 0,34%, para 5,88 euros), Navigator (-0,30%, para 3,32 euros), EDP Renováveis (-0,27%, para 22,34 euros) e Pharol (-0,11% para 0,09 euros) também caíam na abertura da bolsa.

Em sentido contrário, as ações da Sonae, que hoje divulga resultados após o fecho do mercado, e da Galp avançavam 1,61%, para 1,01 euros, e 1,42%, para 9,02 euros, respetivamente.

NOS (+0,58%, para 3,44 euros), Mota-Engil (+0,30%, para 1,33 euros) e Jerónimo Martins (+0,15%, para 20,68 euros) eram outras das que cresceram.

Na terça-feira, a bolsa de Lisboa encerrou no 'verde' com o índice PSI20 a subir 0,33% para 5.682,61 pontos, em contraciclo com a maioria das bolsas europeias.

Na Europa, após abrirem com ligeiras subidas, as principais bolsas negoceiam agora com tendência mista.

Após subidas recorde nos últimos dias, a bolsa nova-iorquina encerrou na terça-feira em baixa. Os resultados definitivos da sessão indicam que o seletivo Dow Jones Industrial Average desceu 0,31%, para os 36.319,98 pontos, enquanto o tecnológico Nasdaq interrompeu uma série de 11 sessões consecutivas em alta, para acabar a recuar 0,60%, para as 15.886,54 unidade.

A nível cambial, o euro abriu em baixa no mercado de câmbios de Frankfurt, a cotar-se a 1,1563 dólares, contra 1,1591 dólares na terça-feira e o atual máximo desde maio de 2018, de 1,2300 dólares, em 05 de janeiro.

O barril de petróleo Brent para entrega em janeiro abriu em alta no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, a cotar-se a 85,09 dólares, contra 84,78 na terça-feira e 85,65 dólares em 26 de outubro, um máximo desde outubro de 2018 (quando subiu até 86,43 dólares), mas os especialistas não excluem que possa atingir 90 dólares por barril antes do final do ano.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de