Bolsa

Bolsa de Londres rejeita proposta de compra da praça de Hong Kong

Sinalização presente na entrada da bolsa de Londres, a London Stock Exchange. Foto: REUTERS/Peter Nicholls/File Photo
Sinalização presente na entrada da bolsa de Londres, a London Stock Exchange. Foto: REUTERS/Peter Nicholls/File Photo

A praça de Londres já reagiu à oferta de aquisição lançada por Hong Kong. A LSE "rejeitou a proposta" e "não vê mérito num futuro envolvimento".

A London Stock Exchange (LSE) rejeitou a proposta de aquisição lançada esta semana pela bolsa de Hong Kong. “A administração [da bolsa de Londres] rejeitou unanimemente a proposta condicional e, dadas as falhas fundamentais, não vê mérito num futuro envolvimento”, indica a LSE em comunicado citado pela CNBC.

No passado dia 11 de setembro, a bolsa de Hong Kong lançou uma oferta de compra sobre a praça londrina, oferecendo 26,6 mil milhões de libras (33,1 mil milhões de euros). Na altura, presidente-executivo da Hong Kong Exchanges and Clearing (HKEX), Charles Li, defendia que a operação iria ter como efeito “redefinir o mercado de capitais global nas próximas décadas”.

Em 2012, o operador da bolsa de Hong Kong já havia comprado a London Metal Exchange por 1,4 mil milhões de libras (1,57 mil milhões de euros). Para Charles Li, as duas empresas têm “grandes marcas, solidez financeira e um comprovado histórico de crescimento”.

“Juntos, ligaremos o Leste e o Oeste, seremos mais diversificados e poderemos oferecer aos clientes uma maior inovação, gestão de riscos e oportunidades de negociação”, salientou em comunicado.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
António Costa, primeiro-ministro. ( Pedro Granadeiro / Global Imagens )

Conheça a composição do novo Governo de António Costa

António Costa, primeiro-ministro. ( Pedro Granadeiro / Global Imagens )

Conheça a composição do novo Governo de António Costa

luzes, lâmpadas, iluminação

Preço da luz desce 18 cêntimos por mês no mercado regulado em 2020

Outros conteúdos GMG
Bolsa de Londres rejeita proposta de compra da praça de Hong Kong