Bolsa de Nova Iorque negoceia negoceia no vermelho

A bolsa de Nova Iorque está a negociar no vermelho, penalizada pelos dados sobre o mercado laboral, pelo avanço da pandemia em diversos países do mundo e pela dificuldade em aprovar um novo pacote de estímulos à economia.

Pelas 14:45 em Lisboa, o índice Dow Jones Industrial Average caía 0,83% para 28.277,68 pontos, enquanto o Standard & Poor"s 500 recuava 1,28% para 3.442,51 pontos e o tecnológico Nasdaq perdia 0,99% para 11.651,64 pontos.

Os investidores estão preocupados com o mercado de trabalho, segundo a agência Bloomberg, pois os pedidos de subsídio de desemprego na última semana "aumentaram e surpreenderam", acentuando a queda em Wall Street, pois "reacenderam os receios" de que uma "crise duradoura na saúde possa afetar o mercado laboral".

O Departamento do Trabalho norte-americano informou hoje que os pedidos de subsídio de desemprego nos Estados Unidos aumentaram em 53.000 na semana terminada em 10 de outubro, para os 898.000.

Este aumento surpreendeu os analistas que esperavam que os pedidos de subsídio na maior economia do mundo se situassem nos 825.000, segundo dados da agência Bloomberg, sendo que as inscrições na semana concluída em 03 de outubro foram revistas em 5.000, isto é, acima da estimativa de 840.000 inicialmente calculada, para 845.000.

Além disso, a penalizar Wall Street está também a preocupação por parte dos investidores com a evolução da pandemia e a possibilidade de poder haver restrições à atividade económica no país, embora outros fatores também influenciem o comportamento, como as medidas de estímulo à economia não serem aprovadas antes das eleições presidenciais de 03 de novembro.

No Velho Continente, as principais bolsas também negoceiam no vermelho, com os investidores receosos com a evolução da pandemia de covid-19, que poderá levar a novas restrições à atividade económica, segundo os analistas.

"As principais bolsas europeias mostram quedas acentuadas devido ao aumento dos casos de coronavírus em toda a Europa, com maiores restrições na Alemanha, Itália, França e Espanha", disse à agência Efe Diego Morín, do IG.

Os investidores também aguardam pela cimeira europeia, em particular pelo desbloqueio do fundo de recuperação e pela evolução das negociações do Brexit.

A preocupação dos investidores é igualmente evidente no mercado de petróleo, onde os preços estão a descer devido ao receio que o alastramento da pandemia reduza a procura de crude.

O Brent para entrega em dezembro, por sua vez, caia 1,08% para 42,25 dólares barril, enquanto o West Texas Intermediate (WTI) recuava 1,15% para 39,88 dólares o barril.

Na quarta-feira, a bolsa de Nova Iorque fechou em baixa, com o Dow Jones a descer 0,58% para 28.514,00 pontos, contra 29.551,42 pontos em 12 de fevereiro, atual máximo desde que foi criado, em 1896.

No mesmo sentido, o Nasdaq fechou a desvalorizar-se 0,80% para 11.768,73 pontos, contra o atual máximo de sempre, de 12.056,33 pontos, em 02 de setembro.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de