Bolsa recebeu mais 50% de ordens dos investidores de retalho em 2020

Os investidores do retalho também aumentaram para 10% o seu peso no volume de negócios da Euronext Lisbon.

A Euronext Lisbon registou, em 2020, um aumento de 50% no volume de ordens feitas por investidores de retalho, num ano em que o volume negociado em bolsa subiu 30% para o máximo dos últimos seis anos, devido à turbulência provocada pelas medidas adotadas no âmbito da epidemia.

No global, os investidores de retalho foram responsáveis por 1,1 milhões de operações na bolsa portuguesa, e o seu peso no volume negociado cresceu para cerca de 10%.

Em valor, também se verificou um aumento, de 10%, das operações efetuadas pelos investidores de retalho, anunciou esta terça-feira a presidente da Euronext Lisbon, Isabel Ucha, numa conferência de imprensa online sobre o balanço e perspetivas da atividade da gestora da bolsa.

O aumento da participação em bolsa dos pequenos investidores está em linha com o crescimento de 49% das ordens registadas em 2020, motivadas pela instabilidade verificada nos mercados na primeira metade do ano passado. Registaram-se, em média, 46,8 mil negócios por dia na bolsa portuguesa em 2020, segundo dados da Euronext.

"A expetativa é de que o retalho continue ativo (em bolsa) em 2021", disse a responsável da Euronext Lisbon.

A capitalização bolsista das empresas cotadas em Lisboa cresceu 16% para 73,5 mil milhões de euros, ajudada pelo aumento de capital de mil milhões de euros da EDP, que foi um dos maiores da Europa em 2020.

Quanto à emissão de obrigações, aumentaram 45% para 32,8 mil milhões de euros, suportadas no crescimento da emissão de títulos de dívida pública.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de