Bolsas europeias a subir impulsionadas por declarações da Fed

O presidente da Fed defende que a economia norte-americana continuará a precisar de um extraordinário apoio monetário.

As principais bolsas europeias abriram esta quarta-feira em alta, animadas com as declarações do presidente da Reserva Federal (Fed), Jerome Powell, no Senado dos Estados Unidos, que sossegaram os mercados face à inflação e à política monetária.

Cerca das 8:40 em Lisboa, o EuroStoxx 600 subia 0,16% para 411,96 pontos. As bolsas de Paris e Frankfurt avançavam 0,11% e 0,41%, bem como a de Milão e de Madrid, que se valorizavam 0,01% e 0,18%. Londres era a exceção, já que recuava 0,54%.

Depois de ter aberto em alta, a bolsa de Lisboa mantinha a tendência e, cerca das 08:40, o principal índice, o PSI20, subia 0,27% para 4.742,16 pontos.

O presidente da Fed assegurou na terça-feira no Senado dos Estados Unidos que a pandemia da covid-19 deixou "uma marca significativa" na inflação no país e que a recuperação ainda está incompleta e que por isto a economia continuará a precisar de um extraordinário apoio monetário por uns tempos.

A bolsa de Nova Iorque terminou mista na terça-feira, com o Dow Jones a subir 0,50% para 31.537,35 pontos, contra 31.613,02 pontos em 17 de fevereiro, atual máximo desde que foi criado em 1896.

Em sentido contrário, o Nasdaq fechou em baixa na terça-feira, a cair 0,50% para 13.465,20 pontos, contra o atual máximo de 14.095,47 pontos em 12 de fevereiro.

A nível cambial, o euro abriu hoje em alta no mercado de câmbios de Frankfurt, a cotar-se a 1,2155 dólares, contra 1,2146 na terça-feira e o atual máximo desde maio de 2018, de 1,2300 dólares, em 05 de janeiro.

O barril de petróleo Brent para entrega em abril abriu em alta no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, a cotar-se a 65,43 dólares, um máximo desde maio de 2019, contra 65,37 dólares na terça-feira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de