Mercados

Bolsas europeias em alta à espera de novas medidas do BCE para relançar economia

Bolsas europeias subiram este ano

As principais bolsas europeias estavam esta quinta-feira em alta, à espera de novas medidas do Banco Central Europeu (BCE) para relançar a economia na sequência da reunião de política monetária.

Cerca das 08:55 em Lisboa, o EuroStoxx 600 avançava 0,25%, para 390,70 pontos.

As bolsas de Londres, Paris e Frankfurt subiam 0,30%, 0,20% e 0,29%, bem como as de Madrid e Milão, que avançavam 0,05% e 0,46%, respetivamente.

Depois de ter aberto em alta, a bolsa de Lisboa mantinha a tendência e, cerca das 08:55, o principal índice, o PSI20, avançava 0,16%, para 4.997,67 pontos.

Seis semanas após ter sugerido uma panóplia de medidas de estímulo, o BCE é forçado a agir hoje, apesar dos debates internos, já que o contexto económico continua febril, referem analistas citados pela AFP.

O presidente do BCE, Mario Draghi, participa pela penúltima vez na reunião de política monetária – a última será em 24 de outubro – antes de passar o cargo no final do mês à francesa Christine Lagarde, depois de oito anos de mandato marcado por crises.

Os investidores também estão atentos às negociações comerciais entre Washington e Pequim, que alegadamente estarão a avançar.

Na quarta-feira, Wall Street terminou em alta, com o Dow Jones a avançar 0,85%, para 27.137,04 pontos, contra o atual máximo desde que foi criado em 1896, de 27.359,16 pontos, registado em 15 de julho.

No mesmo sentido, o Nasdaq fechou a subir 1,06%, para 8.169,68 pontos, contra o atual máximo, de 8.330,21 pontos, registado em 26 de julho.

A nível cambial, o euro abriu hoje em alta no mercado de câmbios de Frankfurt, a cotar-se a 1,1018 dólares, contra 1,1007 dólares na quarta-feira.

O barril de petróleo Brent para entrega em novembro abriu hoje em alta, a cotar-se a 61,16 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, mais 0,35 dólares do que no fim da sessão anterior.

O barril de petróleo Brent esteve acima dos 85 dólares no início de outubro do ano passado.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Foto: REUTERS/Rafael Marchante

Portugal entre os países europeus que ficaram mais desiguais

Foto: REUTERS/Rafael Marchante

Portugal entre os países europeus que ficaram mais desiguais

Angel Gurria, secretário-geral da OCDE. Fotografia: EPA/Mario Guzmán

OCDE mais pessimista. Sinais vermelhos para a economia

Outros conteúdos GMG
Bolsas europeias em alta à espera de novas medidas do BCE para relançar economia