bolsas

Bolsas europeias em alta animadas com acordo entre Washington e Pequim

REUTERS/Henry Nicholls
REUTERS/Henry Nicholls

As principais bolsas europeias estavam hoje em alta, com os investidores animados com a assinatura da “fase um” do acordo comercial entre os Estados Unidos e a China.

Cerca das 09:00 em Lisboa, o EuroStoxx 600 avançava 0,23% para 420,61 pontos.

As bolsas de Frankfurt e Paris subiam 0,36% e 0,28%, bem como a de Madrid e a de Milão, que avançavam 0,48% e 0,64%, respetivamente. Londres era a exceção, já que descia 0,08%.

Depois de ter aberto em alta, a bolsa de Lisboa mantinha a tendência e cerca das 09:00 o principal índice, o PSI20, subia 0,24% para 5.316,03 pontos.

Além do acordo comercial, os investidores vão estar pendentes da publicação das atas da reunião de dezembro do Banco Central Europeu (BCE), do relatório anual sobre a situação e das perspetivas da economia global da ONU e de novos resultados empresariais nos Estados Unidos.

Entretanto, no Médio Oriente a tensão entre os Estados Unidos e o Irão está de momento apaziguada.

A bolsa de Nova Iorque terminou na quarta-feira com o Dow Jones a subir 0,31% para 29.030,22 pontos, novo máximo de sempre desde que foi criado em 1896.

No mesmo sentido, o Nasdaq fechou a avançar 0,08% para 9.258,70 pontos, contra o atual máximo de sempre, de 9.273,93 pontos, registado em 13 de janeiro.

A nível cambial, o euro abriu hoje em baixa no mercado de câmbios de Frankfurt, a cotar-se a 1,1156 dólares, contra 1,1158 dólares na quarta-feira.

O barril de petróleo Brent para entrega em março de 2020 abriu hoje em alta, a cotar-se a 64,21 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, contra 64,00 dólares na quarta-feira.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Lisboa-19/12/2019  - Conferencia de Antonio Mexia ,CEO da EDP. 
(PAULO SPRANGER/Global Imagens)

Chinesa CTG vende 1,8% da EDP

(A-gosto.com/Global Imagens).

PSD indisponível para viabilizar alteração à lei para aeroporto do Montijo

O ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno. JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Novo Banco: Estado como acionista só dilui posição do Fundo de Resolução

Bolsas europeias em alta animadas com acordo entre Washington e Pequim