bolsas

Bolsas europeias em alta apesar de forte recuo do mercado chinês

Foto: EPA/Chema Moya
Foto: EPA/Chema Moya

Os mercados chineses abriram em baixa hoje, dia em que voltaram a abrir depois do prolongamento das férias de Ano Novo.

As principais bolsas europeias estavam hoje em alta, apesar das perdas de mais de 8% registadas nas bolsas chinesas devido à propagação do coronavírus e das consequências económicas da mesma.

Cerca das 09:00 em Lisboa, o EuroStoxx 600 subia 0,13% para 411,26 pontos.

As bolsas de Londres, Paris e Frankfurt avançavam 0,26%, 0,45% e 0,33%, bem como Madrid e Milão que subiam 0,37% e 0,27%, respetivamente.

Depois de ter aberto em baixa, a bolsa de Lisboa mantinha a tendência e, cerca das 09:00, o principal índice, o PSI20, recuava 0,37% para 5.232,57 pontos.

Os mercados chineses abriram em baixa hoje, dia em que voltaram a abrir depois do prolongamento das férias de Ano Novo decretado pelo Governo chinês devido à propagação do coronavírus.

Concretamente, a bolsa de Xangai, principal mercado de valores da parte continental da China, fechou a cair 7,72%, enquanto a de Xenzhen, a segunda maior do país, recuou 8,45%.

Os investidores estão a antecipar a tomada de decisões firmes para combater a propagação do coronavírus a partir da China, depois da Organização Mundial de Saúde (OMS) ter declarado emergência sanitária internacional.

As bolsas chinesas foram sacudidas pelo coronavírus apesar das medidas anunciadas pelo banco central da China para apoiar a economia, designadamente a injeção de uma grande quantidade de liquidez no sistema bancário e a descida das taxas de juro dos acordos de recompra inversa.

A propagação do coronavírus já afetou o consumidor, a produção industrial e outros setores económicos, e as consequências também já se refletem no mercado de matérias primas, onde se prevê um recuo da procura de petróleo.

O barril de petróleo Brent para entrega em abril de 2020 abriu hoje em alta, a cotar-se a 56,06 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, contra 56,62 dólares na quinta-feira.

Na sessão de hoje das bolsas chinesas, a primeira depois da concretização do ‘Brexit’, soube-se que os resultados das principais empresas industriais chinesas recuou 3,3% em 2019.

A bolsa de Nova Iorque terminou na sexta-feira com o Dow Jones a recuar 2,09% para 28.256,03 pontos, contra 29.348,10 pontos em 17 de janeiro, atual máximo desde que foi criado em 1896.

No mesmo sentido, o Nasdaq fechou a desvalorizar-se 1,59% para 9.150,94 pontos, contra o atual máximo de sempre, de 9.402,48 pontos, verificado em 24 de janeiro.

A nível cambial, o euro abriu hoje em baixa no mercado de câmbios de Frankfurt, a cotar-se a 1,1077 dólares, contra 1,1093 dólares na sexta-feira.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Foto: Leonel de Castro/Global Imagens

Famílias com 12 meses para pagarem rendas do estado de emergência

Antonoaldo Neves, presidente executivo da TAP. Fotografia: Adelino Meireles/Global Imagens

TAP também vai avançar com pedido de layoff

EPA/MIGUEL FIGUEIREDO LOPES

Mais de 90% querem ver estado de emergência prolongado

Bolsas europeias em alta apesar de forte recuo do mercado chinês