Mercados

Bolsas europeias em alta, mas preocupadas com coronavírus

Ligeira valorização na abertura da bolsa

As principais bolsas europeias estavam esta terça-feira em alta, mas continuavam preocupadas com a propagação do coronavírus.

Cerca das 08:50 em Lisboa, o EuroStoxx 600 subia 0,81% para 428,09 pontos.

As bolsas de Londres, Paris e Frankfurt subiam 1,02%, 0,64% e 0,97%, bem como as de Madrid e Milão que avançavam 0,37% e 0,69%, respetivamente.

Depois de ter aberto em alta, a bolsa de Lisboa mantinha a tendência e, cerca das 08:50, o principal índice, o PSI20, subia 0,47% para 5.306,71 pontos.

Além do coronavírus, os investidores vão estar atentos à publicação do Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido, às comparências da presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, e do presidente da Reserva Federal dos Estados Unidos, Jerome Powell.

A epidemia continua a atrair a atenção dos investidores, já que a propagação do mesmo já provocou mais de mil vítimas mortais na China e afetou o consumo, a produção industrial e outros setores económicos, e as consequências também já se refletem no mercado de matérias-primas, onde se prevê um recuo da procura de petróleo.

A bolsa de Nova Iorque terminou na segunda-feira com o Dow Jones a subir 0,60% para 29.276,82%, contra o atual máximo desde que foi criado em 1896, de 29.379,77 pontos em 6 de fevereiro.

No mesmo sentido, o Nasdaq fechou a avançar 1,13% para 9.628,39 pontos, novo máximo de sempre.

A nível cambial, o euro abriu hoje em baixa no mercado de câmbios de Frankfurt, a cotar-se a 1,0907 dólares, contra 1,0910 dólares na segunda-feira.

O barril de petróleo Brent para entrega em abril de 2020 abriu hoje em alta, a cotar-se a 53,78 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, contra 53,27 dólares na segunda-feira, um mínimo desde 26 de dezembro de 2018.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
lisboa casas turismo salarios portugal

Turismo em crise já pensa no day after

O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira. TIAGO PETINGA/LUSA

Governo estima que mais de um terço dos empregados fique em lay-off

Mário Centeno, Ministro das Finanças.
Fotografia: Francois Lenoir/Reuters

Folga rara. Custo médio do petróleo está 10% abaixo do previsto no Orçamento

Bolsas europeias em alta, mas preocupadas com coronavírus