Mercados financeiros

Bolsas europeias em alta na última sessão da semana

REUTERS/Henry Nicholls
REUTERS/Henry Nicholls

A bolsa de Lisboa está a valorizar mais de 0,50%, partilhando assim o sentimento positivo da maioria das congéneres europeias.

A bolsa de Lisboa arrancou a sessão desta sexta-feira em terreno positivo, estando às 8:50 a subir 0,61% para os 5.088,98 pontos. Destaque na praça nacional para os pesos-pesados BCP, que ganha 0,76% para 25,25 cêntimos, a EDP valoriza 1,01% para 3,296 euros, a EDP Renováveis aprecia 0,46% para 8,81 euros e a Galp Energia cresce 0,75% para 14,07 euros, isto numa altura em que os preços do petróleo estão em alta nos mercados internacionais. O Brent do Mar do Norte, referência para as importações nacionais, negoceia nos 68,34 dólares por barril.

Ainda na bolsa nacional, a Jerónimo Martins (dona dos supermercados Pingo Doce) valoriza 0,97% para 13,545 euros e a Sonae (dona dos supermercados Continente) ganha 1,30% para 0,8975 euros.

Entre as restantes praças europeias, a tónica é também sobretudo positiva. Em Paris, o CAC40 aprecia 0,62%, em Londres o Footsie100 valoriza 0,56% e em Frankfurt, o DAX sobe 0,63%.

Esta evolução dos mercados acionistas tem lugar numa altura em que os investidores manifestam receios de que as tensões comerciais entre as duas maiores economias do mundo – Estados Unidos e China – prejudiquem o crescimento económico mundial. Komal Sri-Kumar, fundador e presidente da Sri-Kumar Global Strategies, em declarações à Bloomberg indicou que “a guerra comercial vai provocar um abrandamento do crescimento, tanto nos EUA como na China e, consequentemente, mundialmente – não há dúvidas quanto a isso”.

Já depois do fecho das bolsas nos Estados Unidos, Donald Trump indicou que o destino da chinesa Huawei pode ser discutido no contexto das relações comerciais com Pequim.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Trump Xi China

Trump ameaça Pequim e ordena às empresas: “saiam da China”

Emmanuel Macron, presidente francês. Fotografia: Direitos Reservados

Fogos na Amazónia: França e Irlanda ameaçam bloquear acordo com Mercosul

O ministro do Ambiente e da Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes, intervém durante uma conferência de imprensa para fazer o ponto de situação sobre a crise energética, no Ministério do Ambiente e da Transição Energética, em Lisboa, 13 de agosto de 2019. JOÃO RELVAS / LUSA

Ministro do Ambiente: “Há cada vez mais condições” para que greve não aconteça

Outros conteúdos GMG
Bolsas europeias em alta na última sessão da semana