Bolsa

Bolsas europeias em baixa à espera de indicadores macroeconómicos

Foto: EPA/ROMAN PILIPEY
Foto: EPA/ROMAN PILIPEY

As principais bolsas europeias estavam hoje em baixa, com os investidores pendentes da publicação de vários indicadores macroeconómicos, como a inflação na União Europeia, que já podem refletir o impacto da epidemia do coronavírus na economia.

Cerca das 08:40 em Lisboa, o EuroStoxx 600 descia 0,45% para 428,25 pontos.

As bolsas de Londres, Paris e Frankfurt recuavam 0,42%, 0,29% e 0,38%, bem como as de Madrid e Milão, que desciam 0,49% e 0,80%.

Depois de ter aberto em baixa, a bolsa de Lisboa mantinha a tendência e, cerca das 08:40, o principal índice, o PSI20, recuava 1,02% para 5.356,23 pontos.

Assim, a expansão da epidemia do coronavírus e o possível impacto na economia continuam a concentrar a atenção dos investidores.

Na terça-feira, a agência Moody’s reviu em baixa o crescimento da economia chinesa em 2020, devido ao surto do coronavírus, depois de a China ter decidido dar mais apoio às empresas para reiniciarem as suas operações com normalidade.

Entretanto, soube-se que as vendas de automóveis caíram fortemente na China nas duas primeiras semanas de fevereiro e que no Japão o setor do turismo recuou desde o início do mês.

Na quinta-feira, a bolsa de Nova Iorque terminou com o Dow Jones a cair 0,44% para 29.219,98 pontos, contra 29.551,42% em 12 de fevereiro, atual máximo desde que foi criado em 1896.

O Nasdaq fechou a recuar 0,67% para 9.750,96 pontos, contra 9.817,18 pontos na quarta-feira, atual máximo de sempre.

A nível cambial, o euro abriu hoje em alta no mercado de câmbios de Frankfurt, a cotar-se a 1,0795 dólares, contra 1,0793 dólares na quinta-feira e 1,0792 dólares em 10 de fevereiro, atual mínimo desde 24 de abril de 2017.

O barril de petróleo Brent para entrega em abril de 2020 abriu hoje em baixa, a cotar-se a 58,60 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, contra 59,31 dólares na quinta-feira e o mínimo desde 26 de dezembro de 2018, de 53,27 dólares, em 10 de fevereiro.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

1400 empresas já pediram para aderir ao novo lay-off, apoios só a 28 de abril

Antonoaldo Neves, presidente executivo da TAP. Fotografia: Adelino Meireles/Global Imagens

TAP também vai avançar com pedido de layoff

Veículos da GNR durante uma operação stop de sensibilização para o cumprimento do dever geral de isolamento, na Autoestrada A1 nas portagens dos Carvalhos/Grijó no sentido Sul/Norte, Vila Nova de Gaia, 29 de março de 2020. MANUEL FERNANDO ARAÚJO/LUSA

Mais de 80 detidos e 1565 estabelecimentos fechados

Bolsas europeias em baixa à espera de indicadores macroeconómicos