Bolsas europeias receosas com subida da inflação nos EUA

As principais praças europeias abriram em baixa. Inflação e empregos nos EUA preocupam investidores.

As principais bolsas europeias abriram esta quinta-feira em baixa, com os investidores a temerem uma aceleração persistente da inflação nos Estados Unidos que abra a porta a uma subida dos juros.

Cerca das 8:40 em Lisboa, o EuroStoxx 600 recuava 1,07%, para 433,23 pontos.

As bolsas de Londres, Paris e Frankfurt desciam 1,37%, 1,35% e 1,30%, bem como as de Madrid e Milão que se desvalorizavam 1% e 1,45%, respetivamente.

Depois de abrir em baixa, a bolsa em Lisboa mantinha a tendência e, cerca das 8:40, o principal índice, o PSI20, caia 1,60%, para 5.021,51 pontos.

Na quarta-feira, a divulgação da taxa de inflação nos EUA em abril, que foi superior ao previsto, afundou Wall Street e já provocou uma nova subida dos juros das dívidas soberanas a nível mundial.

Hoje serão publicados os dados do desemprego semanal nos Estados Unidos.

A bolsa de Nova Iorque terminou em baixa na quarta-feira, com o Dow Jones a descer 1,99%, para 33.587,66 pontos, contra o atual máximo de sempre desde que foi criado em 1896, de 34.777,76 pontos, registado em 07 de maio.

No mesmo sentido, o Nasdaq fechou a desvalorizar-se 2,67%, para 13.031,68 pontos, contra o máximo de 14.138,78 pontos, registado em 26 de abril.

A nível cambial, o euro abriu em alta no mercado de câmbios de Frankfurt, a cotar-se a 1,2102 dólares, contra 1,2066 dólares na quarta-feira e o atual máximo desde maio de 2018, de 1,2300 dólares, em 05 de janeiro.

O barril de petróleo Brent para entrega em julho abriu em baixa no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, a cotar-se a 68,34 dólares, contra 69,32 dólares na quarta-feira, um máximo dos últimos seis meses.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de