Mercados financeiros

Bolsas europeias voltam a abrir em baixa por tensão EUA – China

euronext - bolsa de lisboa
© leonardo negrao
euronext - bolsa de lisboa © leonardo negrao

Lisboa segue em linha com as congéneres europeias.

As principais bolsas europeias estavam hoje em baixa, preocupadas com o andamento das negociações comerciais entre os Estados Unidos e a China.

Cerca das 08:50 em Lisboa, o EuroStoxx 600 descia 0,44% para 386,96 pontos.

As bolsas de Londres, Paris e Frankfurt desciam 0,44%, 0,41% e 0,90%, bem como a de Madrid e Milão, que recuavam 0,88% e 0,28%.

A bolsa de Lisboa seguia hoje em baixa, em linha com as congéneres europeias, com as ações da Jerónimo Martins e da Galp a pressionarem as negociações.

Pelas 08:47, o principal índice da bolsa de Lisboa seguia a recuar 0,37% para 5.232,96 pontos, com 13 ações em baixa, uma em alta e quatro inalteradas.

A liderar as perdas seguiam os CTT e a Mota Engil, que recuavam 1,68% para 1,99 euros, seguidas da Jerónimo Martins e da Galp que desvalorizavam 0,70% e 6,68% para 14,81 e 13,93 euros, respetivamente.

De acordo com a analista da XTB, Carla Santos, a Mota-Engil é a empresa mais penalizada pela atual conjuntura internacional, uma vez que tem uma dependência muito forte face ao sentimento de mercado.

“O acender da guerra comercial e a queda do preço do petróleo é das variáveis que mais impacta na cotação da Mota Engil face à sua exposição aos mercados emergentes”, refere.

Depois de, na terça-feira, o Presidente norte-americano, Donald Trump, ter afirmado que as relações comerciais entre Washington e Pequim “têm um longo caminho pela frente”, os investidores continuam pendentes da evolução das relações entre os dois países.

A apresentação de resultados empresariais nos Estados Unidos também está na agenda dos investidores, que hoje aguardam os da Microsoft e do Morgan Stanley.

Entretanto, os mercados continuam confiantes numa descida das taxas de juro, tanto na zona euro como nos Estados Unidos.

Se finalmente a Fed descer as taxas de juro esta será a primeira vez desde 2008.

Na quarta-feira, a bolsa de Wall Street terminou em baixa, com o Dow Jones a cair 0,42% para 27.219,85 pontos, contra o atual máximo desde que foi criado em 1896, de 27.359,16 pontos, registado em 15 de julho.

No mesmo sentido, o Nasdaq fechou a recuar 0,46% para 8.185,21 pontos, contra o atual máximo, de 8.258,18 pontos, verificado em 15 de julho.

A nível cambial, o euro abriu hoje em alta no mercado de câmbios de Frankfurt, a cotar-se a 1,1236 dólares, contra 1,1225 euros na quarta-feira.

O barril de petróleo Brent para entrega em setembro abriu hoje em baixa, a cotar-se a 63,52 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, menos 0,10 dólares do que no fim da sessão anterior.

O barril de petróleo Brent esteve acima dos 85 dólares no início de outubro.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
7. Aeroporto de Londres Heathrow

Oficial. Portugal fora do corredor turístico do Reino Unido

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva. ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Decisão do Reino Unido é “absurda”, “errada” e “desapontante”, diz Santos Silva

O primeiro ministro, António Costa.     MANUEL DE ALMEIDA / POOL/LUSA

António Costa admite despedimentos na TAP com menos rotas e aviões

Bolsas europeias voltam a abrir em baixa por tensão EUA – China