Mercados financeiros

Bolsas europeias voltam a abrir em baixa por tensão EUA – China

euronext - bolsa de lisboa
© leonardo negrao
euronext - bolsa de lisboa © leonardo negrao

Lisboa segue em linha com as congéneres europeias.

As principais bolsas europeias estavam hoje em baixa, preocupadas com o andamento das negociações comerciais entre os Estados Unidos e a China.

Cerca das 08:50 em Lisboa, o EuroStoxx 600 descia 0,44% para 386,96 pontos.

As bolsas de Londres, Paris e Frankfurt desciam 0,44%, 0,41% e 0,90%, bem como a de Madrid e Milão, que recuavam 0,88% e 0,28%.

A bolsa de Lisboa seguia hoje em baixa, em linha com as congéneres europeias, com as ações da Jerónimo Martins e da Galp a pressionarem as negociações.

Pelas 08:47, o principal índice da bolsa de Lisboa seguia a recuar 0,37% para 5.232,96 pontos, com 13 ações em baixa, uma em alta e quatro inalteradas.

A liderar as perdas seguiam os CTT e a Mota Engil, que recuavam 1,68% para 1,99 euros, seguidas da Jerónimo Martins e da Galp que desvalorizavam 0,70% e 6,68% para 14,81 e 13,93 euros, respetivamente.

De acordo com a analista da XTB, Carla Santos, a Mota-Engil é a empresa mais penalizada pela atual conjuntura internacional, uma vez que tem uma dependência muito forte face ao sentimento de mercado.

“O acender da guerra comercial e a queda do preço do petróleo é das variáveis que mais impacta na cotação da Mota Engil face à sua exposição aos mercados emergentes”, refere.

Depois de, na terça-feira, o Presidente norte-americano, Donald Trump, ter afirmado que as relações comerciais entre Washington e Pequim “têm um longo caminho pela frente”, os investidores continuam pendentes da evolução das relações entre os dois países.

A apresentação de resultados empresariais nos Estados Unidos também está na agenda dos investidores, que hoje aguardam os da Microsoft e do Morgan Stanley.

Entretanto, os mercados continuam confiantes numa descida das taxas de juro, tanto na zona euro como nos Estados Unidos.

Se finalmente a Fed descer as taxas de juro esta será a primeira vez desde 2008.

Na quarta-feira, a bolsa de Wall Street terminou em baixa, com o Dow Jones a cair 0,42% para 27.219,85 pontos, contra o atual máximo desde que foi criado em 1896, de 27.359,16 pontos, registado em 15 de julho.

No mesmo sentido, o Nasdaq fechou a recuar 0,46% para 8.185,21 pontos, contra o atual máximo, de 8.258,18 pontos, verificado em 15 de julho.

A nível cambial, o euro abriu hoje em alta no mercado de câmbios de Frankfurt, a cotar-se a 1,1236 dólares, contra 1,1225 euros na quarta-feira.

O barril de petróleo Brent para entrega em setembro abriu hoje em baixa, a cotar-se a 63,52 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, menos 0,10 dólares do que no fim da sessão anterior.

O barril de petróleo Brent esteve acima dos 85 dólares no início de outubro.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

( Álvaro Isidoro / Global Imagens )

Motoristas de matérias perigosas marcam nova greve para início de setembro

O advogado e porta-voz do sindicato nacional dos motoristas, Pardal Henriques. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Pardal Henriques foi a personalidade mais mediática da greve

Outros conteúdos GMG
Bolsas europeias voltam a abrir em baixa por tensão EUA – China