Mercados

Bolsas no vermelho com investidores atentos às relações entre EUA e China

Foto: REUTERS/Henry Nicholls
Foto: REUTERS/Henry Nicholls

Pelas 08:30 em Lisboa, o Eurostoxx 600 seguia a recuar 0,36% para 379,50 pontos.

As principais bolsas europeias estavam hoje negativas, após o recuo dos índices norte-americanos e asiáticos, e com o tema das relações comerciais entre os EUA e a China a manter-se na ordem do dia.

Entre as principais bolsas europeias, Milão recuava 0,52%, Paris 0,39% e Frankfurt 0,29%.

Londres e Madrid seguiam também em queda de 0,28% e 0,22% e Lisboa seguia a tendência com uma desvalorização de 0,29% para 5.191,85 pontos.

De acordo com a análise diária do BPI, numa altura em que os EUA e a China tentam negociar um acordo, o presidente Donald Trump defendeu na terça-feira a utilização de tarifas aduaneiras como parte da sua estratégia comercial, enquanto que a China vaticinou uma resposta dura caso Washington insista nesta escalada das tensões comerciais.

Desta forma, sinaliza, até à realização do G-20 no Japão, prevista para os dias 28 e 29 deste mês, a incerteza em relação a este tema deverá continuar a dominar o sentimento dos investidores.

Os investidores estarão também atentos à divulgação da inflação nos EUA e à reunião entre o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, e a presidente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, que abordarão as consequências das tensões comerciais mundiais.

O euro abriu hoje em alta, nos 1,1337 dólares, enquanto o preço do crude Brent caía para os 61,29 dólares.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

LUÍS FORRA/LUSA

Dia 7. Patrões e motoristas divididos por 50 euros

Motoristas em greve junto à saída da sede da Companhia Logística de Combustíveis (CLC), em Aveiras de Cima, durante a greve por tempo indeterminado dos motoristas de matérias perigosas e de mercadorias, Azambuja, 16 de agosto de 2019. Portugal está, desde sábado e até às 23:59 de 21 de agosto, em situação de crise energética, decretada pelo Governo devido a esta paralisação, o que permitiu a constituição de uma Rede de Emergência de Postos de Abastecimento (REPA), com 54 postos prioritários e 320 de acesso público. TIAGO PETINGA/LUSA

Greve dos motoristas: atenções voltadas para plenário de trabalhadores

Outros conteúdos GMG
Bolsas no vermelho com investidores atentos às relações entre EUA e China