Brexit

Brexit: Supervisores querem atrair gestoras de fundos para Portugal

Foto: EPA/ANDY RAIN
Foto: EPA/ANDY RAIN

A CMVM e o Banco de Portugal lançam um guia de boas-vindas para ajudar gestoras de fundos que se queiram transferir para Portugal devido ao Brexit.

Os supervisores financeiros portugueses disponibilizam, a partir desta sexta-feira, um guia de boas-vindas para gestoras de fundos que se queiram instalar em Portugal na sequência da saída do Reino Unido da União Europeia.

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) e o Banco de Portugal passam a ter nas suas páginas na Internet o guia com “os procedimentos para a obtenção da autorização e registo necessários para o exercício da atividade em Portugal por parte de entidades gestoras de organismos de investimento coletivo”.

Os dois reguladores criaram ainda equipas específicas de contacto com entidades candidatas a operar em Portugal, que “darão no esclarecimento de questões abrangidas pelas suas áreas de competência nos processos de autorização e registo, bem como durante os primeiros meses do exercício de atividade no País”.

“Os supervisores financeiros estão empenhados em criar condições para que as sociedades gestoras que pretendam instalar-se em Portugal, nomeadamente no âmbito de processos de deslocalização decorrentes da saída do Reino Unido da União Europeia, disponham de acessos fáceis a informação clara quanto aos procedimentos exigidos para operarem no País”, refere em comunicado conjunto divulgado esta sexta-feira.

Em Portugal, o exercício de atividade por parte de sociedades gestoras de organismos de investimento coletivo depende de autorização e registo junto dos dois reguladores. Os processos “podem decorrer em paralelo nos dois supervisores, garantindo maior eficiência processual e redução do tempo de tramitação”, lembram os supervisores.

O guia lançado hoje, consiste num “único repositório de informação sobre como as entidades interessadas devem contactar os reguladores, quais os procedimentos de autorização e registo em cada um dos supervisores, a legislação aplicável e a documentação necessária, bem como o horizonte temporal expectável para a conclusão do processo”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Estado ‘devolve’ em deduções 60% do Adicional ao IMI que cobra

Amoreira Óbidos

Espanha desapareceu do mapa e França descobriu o velho oeste português

António Mexia  (EDP) durante a cerimonia de assinatura de financiamento por parte do Banco Europeu de Investimento (BEI) da Windfloat Atlantic. Um projecto de aproveitamento do movimento eólico no mar ao largo de Viana do Castelo.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

EDP quer exportar tecnologia do maior parque eólico flutuante do mundo

Outros conteúdos GMG
Brexit: Supervisores querem atrair gestoras de fundos para Portugal