Transporte

Cabify quer entrar em bolsa em 2019

Cabify chegou a Portugal em maio de 2016. Fotografia: DR
Cabify chegou a Portugal em maio de 2016. Fotografia: DR

A plataforma de transporte Cabify está a negociar com os bancos a entrada em bolsa. O objetivo é que a operação tenha lugar antes do fim do ano.

A plataforma de transporte de origem espanhola Cabify está a negociar com a banca de investimento a entrada em bolsa. A empresa quer aliar-se nos próximos meses a um sindicato de bancos que preparem a operação de abertura do capital da firma até ao fim deste ano, escreve o jornal espanhol Cinco Días.

Os líderes desta plataforma têm tido, nos últimos meses, encontros com principais bancos de investimento em Espanha, indicaram fontes ao jornal. Até ao momento, contudo, não foi alcançado nenhum acordo com uma entidade financeira para preparar o caminho para a entrada no mercado de capitais.

A companhia optou por não fazer comentários, de acordo com a publicação. Mas, a notícia de uma possível entrada em bolsa até ao fim deste ano não é totalmente surpreendente. Em setembro do ano passado, a imprensa espanhola já avançava que a plataforma tinha nos seus planos entrar no mercado de capitais até ao fim de 2019.

Os planos atuais da companhia passam assim por aproveitar a perspetiva de um aumento de liquidez no último trimestre. Mas há ainda fatores que podem baralhar as contas. Por um lado: o setor do táxi e a Comunidade de Madrid têm de assegurar as licenças VTC – veículos de turismo com condutor. E por outro a situação na Catalunha, onde a atividade destas plataformas está suspensa devido a questões do foro laboral.

Outra plataforma que pretendem entrar em bolsa neste ano é a Uber. No final do ano passado, o Financial Times avançava que a Uber estava a acelerar os procedimentos para um IPO, tendo entregue documentos confidenciais ao regulador naquela altura.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
EDP_ENGIE2

EDP e Engie investem até 50 mil milhões para serem líderes em eólicas no mar

EDP_ENGIE2

EDP e Engie investem até 50 mil milhões para serem líderes em eólicas no mar

Da esquerda para a direita: Ricardo Mourinho Félix, secretário de Estado das Finanças, Angel Gurría, secretário-geral da OCDE, e Pedro Siza Vieira, ministro da Economia. Fotografia: Diana Quintela/Global Imagens

OCDE. Dinamismo das exportações nacionais tem o pior registo da década

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Cabify quer entrar em bolsa em 2019