Poupança

Certificados do Estado captam 315 milhões até março

ganhar-dinheiro-sem-investir-nada

A falta de alternativas nos bancos está a levar os portugueses a aplicar poupanças em Certificados de Aforro de novo.

Os Certificados de Aforro e os Certificados do Tesouro captaram um total de 315 milhões de euros nos primeiros três meses deste ano, incluindo resgates, uma melhoria face aos 290 milhões de euros líquidos captados em igual período de 2018.

Os Certificados de Aforro atraíram investidores, pelo quinto mês consecutivo, em março, tendo captado 46 milhões de euros, em termos líquidos, no primeiro trimestre, face aos -36 milhões de euros nos primeiros três meses do ano passado, segundo dados do Banco de Portugal.

A falta de alternativas na banca para a aplicação de poupanças tem levado os portugueses a voltarem-se de novo para os Certificados de Aforro. A taxa de juro bruta para novas subscrições de certificados de aforro, da nova série (E), em abril de 2019, foi fixada em 0,691%.

Já os Certificados do Tesouro captaram 269 milhões de euros entre janeiro e o final de março deste ano, um montante inferior aos 326 milhões de euros registados no período homólogo de 2018.

Em outubro de 2018 foram suspensos os Certificados do Tesouro Poupança Mais, tendo sido lançados, como alternativa, os Certificados do Tesouro Poupança Crescimento (CTPC), com um prazo máximo de sete anos e um rendimento inferior.

As taxas anuais dos CTPC são crescentes e variam entre 0,75% e 2,25% em termos brutos. A partir do segundo ano, pode ser acrescido um prémio em função do Produto Interno Bruto.

O prémio de remuneração dos Certificados do Tesouro Poupança Mais, em vigor no mês de abril, é de 1,70%.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
TimVieira_1-1024x683

“Fui quem mais investiu e mais perdeu no Shark Tank. E também quem ganhou mais”

João Lourenço, Presidente de Angola. Fotografia: ESTELA SILVA/LUSA

Dívida externa angolana financiou “enriquecimento ilícito de uma elite”

Lisboa, 12/06/2019 - Mariana Vieira da Silva, ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, fotografada esta tarde nos estúdios da TSF, durante uma entrevista 'A Vida do Dinheiro'  TSF/Dinheiro Vivo.
( Gustavo Bom / Global Imagens )

Mariana Vieira da Silva: Repetir a geringonça “é possível e desejável”

Outros conteúdos GMG
Certificados do Estado captam 315 milhões até março