Bolsa

Champalimaud volta a reforçar no capital dos CTT

02.08_CTT

Reforço ocorre após a nomeação de um novo presidente executivo para a empresa de correios.

Manuel Champalimaud passou a deter 12,53% do capital dos CTT, depois de ter comprado mais ações da empresa no passado dia 20 de maio, segundo um comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Assim, a sociedade adquiriu 135 mil ações ordinárias dos CTT ao preço médio de 2,2098 euros por título.

“Após a realização das referidas transações, a Manuel Champalimaud passou a deter, diretamente, 18.792.915 ações representativas de 12,53% do capital social e dos direitos de voto dos CTT”, lê-se na mesma nota.

Além desta posição, ainda são imputadas à sociedade outras posições detidas por dirigentes da Manuel Champalimaud, o que faz com que no total sejam atribuídos 12,85% ao grupo no capital dos CTT.

Entre estes dirigentes conta-se João Bento, que era até agora vice-presidente do Conselho de Administração da Manuel Champalimaud, cargo que vai deixar para assumir a liderança executiva dos CTT em 22 de maio.

O gestor tem 13.550 títulos dos CTT, ou seja, uma posição de 0,009%, segundo o mesmo comunicado.

Na segunda-feira, a Manuel Champalimaud informou os CTT de que detinha diretamente 18.657.915 ações da empresa, representativas de 12,44% do capital social e dos direitos de voto.

Em comunicado enviado à CMVM, os CTT adiantaram que receberam em 17 de maio de Manuel Champalimaud SGPS, entidade estreitamente relacionada com João Afonso Ramalho Sopas Pereira Bento, o novo presidente executivo dos CTT, uma transação efetuada nessa data.

Ou seja, que a Manuel Champalimaud (anteriormente Gestmin) adquiriu em 17 de maio último 86.700 ações ordinárias dos Correios, ao preço médio de 2,1850 euros por título.

Hoje, as ações dos CTT subiram 1,54% para 2,24 euros.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Gustavo Bom / Global Imagens )

Englobamento agrava IRS para rendimentos ‘protegidos’ pelo mínimo de existência

(Gustavo Bom / Global Imagens )

Englobamento agrava IRS para rendimentos ‘protegidos’ pelo mínimo de existência

Salvador de Mello
( Álvaro Isidoro / Global Imagens )

Saúde não pode andar “ao sabor de ventos políticos”

Outros conteúdos GMG
Champalimaud volta a reforçar no capital dos CTT