CMVM aprova saída de bolsa da Sonae Capital

A Efanor obrigou-se a adquirir as ações detidas pelos restantes acionistas da Sonae Capital, pelo prazo não inferior a três meses a contar da presente publicação e ao preço unitário de 0,77 euros por ação.

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) anunciou esta sexta-feira que aprovou o pedido de saída de bolsa da Sonae Capital.

A decisão foi tomada esta sexta-feira em reunião do seu Conselho de Administração, adianta num comunicado.

A CMVM refere que "foi deliberado deferir, com efeitos a esta data, o pedido de perda da qualidade de sociedade aberta da Sonae Capital, SGPS, S.A.

, requerido pela Efanor Investimentos, SGPS, S.A. , na sequência da oferta pública de aquisição (OPA) voluntária por si lançada e por efeito da qual lhe passaram a ser imputáveis mais de 90% dos direitos de voto da Sonae Capital, conforme resultados da oferta divulgado ao mercado no dia 28 de outubro de 2020".

"A Efanor obrigou-se a adquirir as ações detidas pelos restantes acionistas da Sonae Capital, pelo prazo não inferior a três meses a contar da presente publicação e ao preço unitário de 0,77 euros por ação, conforme melhor detalhado no anúncio publicado na presente data", afirma.

Explica que o preço corresponde à contrapartida oferecida na OPA e o seu montante global encontra-se caucionado junto do Banco BPI, S.A..

A Sonae Capital fica impedida de ser readmitida à cotação na praça portuguesa pelo prazo de um ano.

A holding da família Azevedo lançou uma OPA sobre a Sonae Capital e a Sonae Indústria. À data da divulgação do prospeto da operação, no dia 6 de outubro deste ano, a Efanor detinha cerca de 67,975% do capital social da Sonae Capital e 68,859% direitos de voto.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de