Crise na Turquia

Crise na Turquia acentua onda de vendas nas bolsas

Bolsas
Bolsas

A aversão ao risco está a levar os investidores a vender ações e a comprar ativos de refúgio como obrigações soberanas e dólares.

Receios sobre o contágio da crise na Turquia provocaram uma onda de vendas nas bolsas esta segunda-feira, com os investidores a fugir aos ativos de maior risco, como as ações, e a comprar obrigações soberanas e dólares.

O índice MSCI World recuou 1,1%, enquanto em Wall Street, o Dow Jones perdia 0,6% e o S&P 500 caia 0,3%, às 18H10.

Na Europa, o índice STOXX 600 perdeu 0,25%, num dia em que o setor da banca esteve, de novo, muito pressionado. Em Lisboa, o PSI-20 caiu 1,62% para 5.537,21 pontos.

A lira turca chegou a afundar hoje 12% para depois ficar a recuar 8,5%. Os investidores temem que se confirme que a economia turca vai cair numa recessão e arrastar o setor da banca. Por outro lado, as relações da Turquia com os Estados Unidos continuam a deteriorar-se e é cada vez maior o controlo exercido sobre a economia turca por parte que o presidente do país, Tayyip Erdogan.

A Turquia anunciou um plano económico depois de a lira ter afundado para um mínimo histórico. Os seguros de crédito (credit default swaps) da Turquia, uma proteção face a uma crise financeira, escalaram para o máximo desde a crise financeira global de 2008, segundo dados da Reuters.

A crise na Turquia já tinha abalado os mercados na passada sexta-feira.

“A aversão ao risco está a espalhar-se desde as obrigações soberanas de Itália à Turquia, bancos e além, tudo perante uma escassa liquidez de Verão”, referem os analistas do Commerzbank numa análise divulgada esta manhã.

O Financial Times noticiou na passada sexta-feira que o Banco Central Europeu está cada vez mais preocupado com a exposição de bancos da zona euro à Turquia.

Os bancos a operar em Portugal não têm exposição ao país.

O euro caiu 0,15% para 1,1396 dólares.

Onda vermelha em Lisboa

A Navigator afundou 18,2% mas entretanto recuperou e fechou a perder 7,74% para 4,60 euros. A empresa foi penalizada pela aplicação de uma taxa sobre vendas do papel pelos Estados Unidos que terá deverá retirar 45 milhões de euros aos lucros da papeleira este ano. A Navigator vai contestar judicialmente a medida.

A sua casa-mãe, a Semapa, caiu 4,66%. De resto, só uma empresa fechou a subir: a EDP Renováveis, com um ganho de 0,17%.

O Millennium bcp desce 1,52% para 0,26 euros, a Galp Energia deslizou 0,39% para 17,66 euros, a EDP perdeu 1,10% para 3,42 euros, a Jerónimo Martins desvalorizou 0,88% para 12,93 euros e os CTT recuaram 2,11% para 3,16.

Atualizada às 18H20

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
EPA/MICHAEL REYNOLDS

Ação climática. Portugal vai ter de gastar mais de um bilião de euros

EPA/MICHAEL REYNOLDS

Ação climática. Portugal vai ter de gastar mais de um bilião de euros

2. Fazer pagamentos à frente do empregado

Consumo: seis em cada 10 portugueses paga as compras a prestações

Outros conteúdos GMG
Crise na Turquia acentua onda de vendas nas bolsas