Bolsa

Europa mista depois de Wall Street ter fechado em queda

Bolsa de valores. Fotografia: EFE
Bolsa de valores. Fotografia: EFE

Cerca das 08:55 em Lisboa, o EuroStoxx 600 estava a descer 0,43% para 351,76 pontos.

As principais bolsas europeias estavam hoje mistas, depois de Wall Street ter terminado na quarta-feira em forte baixa.

As bolsas de Londres e Paris recuavam 0,06% e 0,68%, respetivamente, bem como a de Madrid, que descia 0,19%. Em sentido contrário, Frankfurt e Milão avançavam 0,40% e 0,43%, respetivamente.

Depois de ter aberto em baixa, a bolsa de Lisboa invertia a tendência e, cerca das 09:00, o principal índice, o PSI20, subia 0,31% para 4.947,59 pontos.

Na quarta-feira, a bolsa nova iorquina terminou em forte baixa devido à desaceleração económica mundial, à subida das taxas de juro nos Estados Unidos e aos ‘débeis’ resultados empresariais.

Os investidores continuam atentos à situação política e económica de Itália, bem como às negociações do ‘Brexit entre Londres e Bruxelas.

O barril de petróleo Brent para entrega em dezembro abriu hoje em baixa, a cotar-se a 75,70 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, menos 0,56% do que no encerramento da sessão anterior e depois de ter estado acima dos 85 dólares no início do mês.

Em Nova Iorque, a bolsa de Wall Street terminou em forte baixa na quarta-feira, com o Dow Jones a descer 2,41% para 24.583,42 pontos, depois de ter subido em 03 de outubro último para 26.828,39 pontos, atual máximo desde que foi criado em 1896.

No mesmo sentido, o Nasdaq fechou a cair 4,43% para 7.108,40 pontos, depois de ter subido até aos 8.109,69 pontos em 29 de agosto, atual máximo de sempre.

A nível cambial, o euro abriu em alta no mercado de divisas de Frankfurt, mas a cotar-se a 1,1411 dólares, contra 1,1396 dólares na quarta-feira.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Caixa Geral de Dep—ositos -

Sete dos créditos de risco da CGD tiveram perdas de 100%

(Rui Oliveira / Global Imagens)

Quota de mercado dos carros a gasóleo cai para mínimos de 2003

Operadores da Groundforce onde a operação da empresa de ‘handling’ Groundforce inclui números como cinco minutos e 400 toneladas, mas também o objetivo de chegar ao fim de 2019 com 3.600 colaboradores, aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, 22 de janeiro de 2018. Para que os aviões estejam no ar, a Groundforce faz toda a assistência em terra, excetuando o fornecimento de comida e de combustível, como resume o presidente executivo da empresa, Paulo Neto Leite, numa visita guiada aos ‘bastidores’ do Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Com o aeroporto de Lisboa “no limite”, Groundforce exige à ANA que invista já

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Europa mista depois de Wall Street ter fechado em queda