Rating

Hipóteses de Fitch tirar Portugal de ‘lixo’ são altas – Commerzbank

Fotografia: Filipe Amorim / Global Imagens
Fotografia: Filipe Amorim / Global Imagens

O Commerzbank juntou-se a outros bancos que apostam numa subida do rating da República por parte da Fitch, na próxima sexta-feira

O Commerzbank juntou-se a outros bancos que apostam numa subida do rating da República por parte da Fitch, na próxima sexta-feira, o que a acontecer levará os juros da dívida portuguesa a descerem ainda mais.

“As hipóteses de uma nova subida de rating pela Fitch na sexta-feira são altas. Isto iria requalificar Portugal para o iBoxx – índices de dívida – do próximo mês em diante e provavelmente impulsionar a convergência das obrigações soberanas portuguesas com as espanholas e as italianas”, refere o banco, numa análise divulgada na última segunda-feira.

Acrescenta que, no mercado de dívida, “Portugal deve ser o principal beneficiário no final desta semana com mais ventos positivos devido provenientes de rating e elegibilidade para índices”.

Mas existe o risco de “a Fitch poder esperar um pouco mais, depois de ter dado uma perspetiva positiva (à dívida portuguesa) em julho”, disse Rainer Guntermann, analista do Commerzbank ao Dinheiro Vivo, esta terça-feira.

“Além de que, depois do alívio inicial, há o risco de uma tomada de mais-valias. Afinal, os juros da dívida portuguesa transacionam apenas 10 pontos base abaixo dos de Itália. Portanto, o ar começa a estar mais fino”, adiantou.

Outros bancos e analistas esperam que a Fitch acompanhe a Standard & Poor’s no dia 15 e retire Portugal do nível de ‘lixo’, incluindo o Morga Stanley, o Rabobank e o Nomura. Atualmente a Fitch tem um rating de ‘BB+’ atribuído a Portugal.

A acontecer, Portugal a dívida portuguesa passa a poder ser incluída nos principais índices de obrigações, podendo ser comprada por investidores institucionais de peso que até agora têm estado impedidos de a comprar. Isto porque para integrar aqueles índices a dívida da República necessita de ter, pelo menos, duas classificações de investimento de qualidade por parte de duas das três maiores agências de rating mundiais – Moody’s, S&P e Fitch.

Os juros da dívida portuguesa a 10 anos rondam a casa dos 1,8%, mínimos de 2015.

(Atualizada às 12H50)

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O ministro de Estado e das Finanças, João Leão, acompanhado pelo ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos (Foto: Mário Cruz/Lusa)

Recuperar poder de decisão na TAP obriga Estado a pagar mais

Humberto Pedrosa é o acionista do consórcio Gateway.

TAP: Humberto Pedrosa realça a não nacionalização da empresa

Fotografia: Regis Duvignau/Reuters

TAP: Sindicato do Pessoal de Voo espera que acordo proteja postos de trabalho

Hipóteses de Fitch tirar Portugal de ‘lixo’ são altas – Commerzbank