PSI 20

Incertezas no BPI e fusão de ações no BCP derrubam PSI-20

Falta de negociação no BPI arrasta ações da banca. BPI e BCP seguem em forte queda esta terça-feira

A bolsa portuguesa regressou esta terça-feira em queda, numa altura em que o PSI-20 desvaloriza 1,2%.

A pressionar o índice de referência nacional estão as ações do BPI e do BCP penalizadas pela incerteza que continua a dominar o setor bancário.

Por um lado, mantém-se o impasse nas negociações entre os dois maiores acionistas do BPI para resolver o problema da exposição do banco a Angola. Na quinta-feira passada, o Caixa Bank anunciou uma ruptura com Isabel dos Santos e, esta terça-feira é o primeiro dia de negociação depois de conhecido este desfecho.

Mesmo assim, os analistas ainda acreditam que possa haver um fim positivo, uma vez que parece existir acordo nos pontos principais. De qualquer forma, o prazo para o BPI alcançar uma solução é cada vez mais curto.

Esta indecisão leva as ações do banco a recuarem 6,5% e está a arrastar todo o setor bancário.

A esta hora, o BCP desvaloriza também 7,7%, numa altura em que também acusa a desconfiança dos investidores depois de conhecida uma proposta para fusão de ações de modo a aumentar o valor dos títulos. Por seu lado, o Montepio recua 2,6%.

Ainda entre as cotadas que mais recentemente se juntaram ao índice principal, a Corticeira recua 1,2%.

Em sentido oposto, e a evitar maiores perdas para o PSI-20 está a Jerónimo Martins que avança 1%. Também a REN sobe perto de 1%, enquanto Galp e EDP estão a avançar entre 0,3% e 0,5%.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ricardo Mourinho Félix, Secretário de Estado Adjunto e das Finanças. 
( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

“Cidadãos não vão tolerar situações que ponham estabilidade financeira em risco”

Ricardo Mourinho Félix, Secretário de Estado Adjunto e das Finanças. 
( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

“Cidadãos não vão tolerar situações que ponham estabilidade financeira em risco”

Lisboa, 22/11/2019 - Money Conference, Governance 2020 – Transparência e Boas Práticas no Olissippo Lapa Palace Hotel.  António Horta Osório, CEO do Lloyds Bank

( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

Horta Osório: O malparado na banca portuguesa ainda é “muito alto”

Outros conteúdos GMG
Incertezas no BPI e fusão de ações no BCP derrubam PSI-20