Bolsa

Jeff Bezos vendeu ações da Amazon no valor de 1,8 mil milhões de dólares

REUTERS/Lindsey Wasson
REUTERS/Lindsey Wasson

O fundador da Amazon vendeu ações da gigante do comércio eletrónico no valor de 1,8 mil milhões de dólares, mais de 1,6 mil milhões de euros.

Jeff Bezos, fundador e CEO da Amazon, vendeu pouco mais de 900 mil ações da gigante de comércio eletrónico, no valor de 1,8 mil milhões de dólares (mais de 1,6 mil milhões de euros no câmbio atual), nos últimos três dias do mês de julho, de acordo com informação enviada ao regulador norte-americano do mercado de capitais, a Securities an Exchange Comission, e citada pela revista Forbes. Depois do pagamento de impostos, Bezos encaixou 1,4 mil milhões de dólares (mais de 1,2 mil milhões de euros no câmbio atual).

Apesar de ter alienado mais de 900 mil títulos da empresa, Bezos continua a ser para a Forbes a pessoa mais rica do mundo, tendo uma fortuna calculada – com base na cotação de fecho da Amazon nesta quarta-feira, 31 de julho – na casa dos 115 mil milhões de dólares (103 mil milhões de euros). É que grande parte da fortuna do norte-americano é proveniente das ações que tem da Amazon, que valem cerca de 108 mil milhões de dólares (97 mil milhões de euros) atualmente.

No início do ano, Jeff Bezos anunciou que ia divorciar-se de MacKenzie Bezos, com quem esteve casado cerca de 25 anos. No âmbito do acordo de divórcio, que foi oficializado no início de julho, o fundador do gigante de comércio eletrónico teve de dar à agora sua ex-mulher uma participação de 4% na empresa. E, de acordo com a Bloomberg que cita os documentos regulatórios sobre as transações de ações, MacKenzie Bezos é a segunda maior acionista individual da companhia, detendo 19,7 milhões de ações.

Esta participação de 4% está atualmente avaliada em 37 mil milhões de dólares (33,2 mil milhões de euros no câmbio atual), colocando MacKenzie na 23 posição na lista dos 500 mais ricos do mundo para a Bloomberg.

Jeff Bezos, depois do divórcio, tem agora uma participação de 12% na Amazon.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Mário Centeno 
(EPA-EFE/PATRICIA DE MELO MOREIRA)

Lentidão nos reembolsos fazem disparar IRS em plena crise

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos (C), acompanhado pelo ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno e pelo presidente da CP, Nuno Freitas (E), na assinatura do contrato de serviço público entre o Estado e a CP, na Estação do Rossio, em Lisboa, 28 de novembro de 2019. JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

CP sem contrato com Estado só tem dinheiro até junho

avião da TAP

PS desafia TAP a corrigir plano de rotas áreas que “lesa interesse nacional”

Jeff Bezos vendeu ações da Amazon no valor de 1,8 mil milhões de dólares