Dívida

Portugal paga menos de 0,1% por dívida a 10 anos

Frankfurt, Alemanha.  REUTERS/Ralph Orlowski
Frankfurt, Alemanha. REUTERS/Ralph Orlowski

Existe a expectativa de que o Banco Central Europeu (BCE) possa aprovar na reunião de 12 de setembro um pacote de estímulo económico.

Os juros das Obrigações do Tesouro portuguesas a 10 anos desceram pela primeira vez abaixo do nível de 0,1% no mercado secundário.

Às 16H50 os juros da dívida soberana portuguesa a 10 anos seguiam nos 0,07%, a descer 10 pontos base, segundo dados da Bloomberg.

Os juros da dívida portuguesa a 10 anos caminham para negociar em terreno negativo, à semelhança do que já se verifica na dívida com maturidades inferiores.

“A procura pela dívida com os melhores juros é mais dominante do que a procura por dívida com mais qualidade”, referem os analistas do Commerzbank numa nota divulgada esta quinta-feira.

Adianta que ” muitos investidores estão desesperados por juros positivos”, pelo que a procura deve manter-se.

 

Existe a expectativa de que o Banco Central Europeu (BCE) possa aprovar na reunião de 12 de setembro um pacote de estímulo económico.

O BCE já admitiu que pode vir a cortar taxas de juro, seguindo a tendência de outros bancos centrais a nível mundial.

Os investidores têm vindo a procurar ativos de refúgio, como o euro e as obrigações soberanas alemãs, e a desfazer-se de ativos de maior risco, como as ações. A perspetiva de uma recessão económica gerou ontem uma nova onda de vendas nas bolsas, com o índice norte-americano Dow Jones a registar a sua pior sessão deste ano.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ricardo Mourinho Félix, Secretário de Estado Adjunto e das Finanças. 
( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

“Cidadãos não vão tolerar situações que ponham estabilidade financeira em risco”

Ricardo Mourinho Félix, Secretário de Estado Adjunto e das Finanças. 
( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

“Cidadãos não vão tolerar situações que ponham estabilidade financeira em risco”

Lisboa, 22/11/2019 - Money Conference, Governance 2020 – Transparência e Boas Práticas no Olissippo Lapa Palace Hotel.  António Horta Osório, CEO do Lloyds Bank

( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

Horta Osório: O malparado na banca portuguesa ainda é “muito alto”

Outros conteúdos GMG
Portugal paga menos de 0,1% por dívida a 10 anos