Matéria-primas

Maduro: Há vontade suficiente na OPEP para reduzir produção de petróleo

Fotografia: REUTERS/Carlos Garcia Rawlins
Fotografia: REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

Mohammed Barkindo está a fazer um périplo pelos países da OPEP, "solidificando um novo consenso".

Os membros da Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP) estão com “vontade suficiente” para avançar num acordo que permita reduzir a produção de crude para aumentar o preço do barril, anunciou hoje o Presidente da Venezuela.

“Já há suficiente vontade para dar o seguinte passo que temos que dar em novembro: um acordo contundente de redução da produção (de petróleo) que permita construir novos mecanismos para a estabilização do mercado e a recuperação do preço do petróleo, a um nível que garanta a reposição dos investimentos para os próximos 20 anos“, disse.

Nicolás Maduro falava aos jornalistas à margem de um encontro com o secretário-geral da OPEP, Mohammed Barkindo, que teve lugar no palácio presidencial de Miraflores, em Caracas.

O anúncio de um possível corte da produção tem lugar num momento em que há expectativas quanto à decisão que tomará a OPEP sobre o congelamento da produção de crude, numa reunião prevista para 30 de novembro, em Viena, Áustria.

Nicolás Maduro explicou que Mohammed Barkindo está a fazer um périplo pelos países da OPEP, “solidificando um novo consenso” e sublinhou a necessidade de “um preço realista, justo e equilibrado para países como os nossos, que temos estas riquezas e que fazemos o esforço de levá-las ao resto do mundo, para que funcione a economia”.

Segundo o Presidente da Venezuela, “nas próximas semanas vão realizar-se reuniões muito decisivas para adotar o acordo” o que permitirá “conseguir um bom fim de ano, depois dos mais baixos preços do petróleo que temos tido”.

“Temos vindo a apregoar um novo esquema, para um novo esquema de preços e já estamos prontos para o acordo”, enfatizou.

Por outro lado Mohammed Barkindo disse que talvez os produtores de petróleo estejam “no final de um terrível ciclo” que “não tem precedentes na história mundial”.

“Nem na OPEP, nem fora da OPEP podemos dizer que não nos sentimos afetados pelos baixos preços do petróleo”, frisou. Para a Venezuela o preço justo do petróleo é de mais de 70 dólares por barril.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Paulo Spranger/Global Imagens)

Depois de pagar a renda sobram 450 euros ao salário dos lisboetas

(Paulo Spranger/Global Imagens)

Depois de pagar a renda sobram 450 euros ao salário dos lisboetas

Aptoide | Paulo Trezentos | Álvaro Pinto

Portuguesa Aptoide já negoceia com Huawei para ser alternativa à Google

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Maduro: Há vontade suficiente na OPEP para reduzir produção de petróleo