Maioria das bolsas europeias no vermelho penalizadas por onda de novas infeções

O aumento das infeções provocadas pelo novo coronavírus na Europa e o novo confinamento que se inicia hoje na Áustria estão a preocupar os investidores, segundo a agência financeira Bloomberg.

As bolsas europeias estão a negociar no vermelho, à exceção de Paris que está transacionar em terreno positivo, com os investidores receosos em relação às restrições na Europa para combater a onda de surtos do novo coronavírus.

Pelas 08:08 (hora de Lisboa), o Euro Stoxx 600 perdia 1,62% para 486,06 pontos, com Londres a cair 0,45%, Frankfurt a recuar 0,38%, Madrid a perder 1,68% e Milão a cair 1,17%. Paris seguia em contraciclo com ganhos de 0,22%.

O aumento das infeções provocadas pelo novo coronavírus na Europa e o novo confinamento que se inicia hoje na Áustria estão a preocupar os investidores, segundo a agência financeira Bloomberg.

Além disso, a tensão geopolítica entre a Rússia e a Ucrânia prossegue, com as acusações entre os Estados Unidos e a Rússia a subirem de tom, aumentando o risco.

Na Ásia, o banco central chinês sinalizou uma possível flexibilização da política monetária com o objetivo de enfrentar a desaceleração da economia, o que levou a que os mercados asiáticos melhorassem o seu desempenho.

Esta semana, os investidores vão estar atentos aos dados do índice PMI dos Estados Unidos, bem como às minutas do Comité Federal de Mercado Aberto norte-americano, e ainda aos novos pedidos de subsídio de desemprego nos EUA.

Na quinta-feira aguarda-se o discurso do governador do Banco da Inglaterra, Andrew Bailey, que vai participar numa conferência do Cambridge Union.

No mercado cambial, o euro seguia a desvalorizar 0,2% para 1,1269 dólares, enquanto o rendimento dos títulos do tesouro norte-americano se situava em 1,56%.

O petróleo bruto West Texas Intermediate (WIT), por sua vez, recuava 0,3%, para 75,87 dólares o barril e o preço ouro negociava-se nos 1.842,78 dólares a onça.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de