Maxyield diz que Sodim reconhece "falhanço" da OPA ao renunciar a 90% dos direitos de voto

A Maxyield continua a considerar que é baixo o preço oferecido pela Sodim aos investidores por cada ação da Semapa.

A Maxyield - Clube dos Pequenos Acionistas considerou esta sexta-feira que a Sodim reconheceu o "falhanço" da OPA sobre a Semapa ao renunciar à condição de atingir 90% dos direitos de voto.

Em 01 de junho, a Sodim ('holding' da família Queiroz Pereira) anunciou que assegurou 80,67% do capital social da Semapa e 82,09% dos direitos de voto e que renunciou à condição de sucesso de atingir 90% dos direitos de voto na Semapa no âmbito da oferta pública de aquisição (OPA) que lançou sobre o grupo.

Segundo a associação Maxyield, a renúncia a esta condição da operação, fixada desde início, "é o reconhecimento do falhanço da OPA e uma clara demonstração de recusa [pelos investidores] do preço oferecido".

A Maxyield continua a considerar que é baixo o preço oferecido pela Sodim aos investidores por cada ação da Semapa (11,66 euros) e que, sem um aumento substancial desse valor, há uma "significativa perda de valor dos seus investimentos".

Além disso, afirma, os resultados da Semapa no primeiro trimestre deste ano valorizam a ação e as "perspetivas indicam que, à medida que a economia recupera e o plano de vacinação é implementado, as condições do setor de pasta, papel, tissue, cimento e outros materiais se mantenham globalmente positivas".

Considera ainda a Maxyield que o adiamento dos resultados da Semapa, de 14 de maio para dia 31, teve como objetivo "transferir a apresentação de resultados para data posterior ao encerramento de ordens de venda no âmbito da OPA da Sodim sobre a Semapa".

A Maxyield diz não estar contra a OPA, mas diz ser "absolutamente contra o baixo preço que a família Queiroz Pereira pretende pagar pelo capital que não dispõe na Semapa", considerando o valor oferecido por cada ação "muito inferior aos fundamentais da economia empresarial da Semapa, em linha com as recomendações dos analistas que continuam a apontar para um price target médio de 17,30 euros por ação".

"Os investidores e acionistas devem continuar a fazer a sua própria avaliação e formar suas próprias opiniões ou conclusões. Continuamos convictos de que sem um aumento substancial do valor oferecido, estamos perante uma significativa perda de valor dos seus investimentos", defende.

A associação acrescenta que com esta OPA a família Queiroz Pereira está "a cometer um erro trágico, que vai afetar gravemente as suas relações com o mercado de capitais", considerando que "a liquidez das ações da Semapa e a sua manutenção em bolsa é um capital de confiança no mercado de capitais, qualquer que seja o cenário de desenvolvimento da OPA da Sodim".

A data limite para apresentação de ordens de venda na OPA termina hoje, sendo o apuramento final dos resultados feito no sábado.

Em 01 de junho, no comunicado em que renunciou à condição de sucesso de atingir 90% dos direitos de voto na Semapa no âmbito da OPA, a Sodim disse que se não atingir, pelo menos, 90% dos direitos de voto da Semapa, que irá instruir os bancos BCP e Caixa - Banco de Investiment para após os cinco dias úteis seguintes ao apuramento da OPA comprarem ações ao mesmo preço da operação (11,66 euros por ação da Semapa).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de