Mota, PT e Banca disparam e levam PSI 20 a liderar subidas europeias

PSI 20 liderou ganhos europeus
PSI 20 liderou ganhos europeus

A Bolsa de Lisboa terminou a última sessão da semana em terreno positivo, a liderar as subidas registadas pelas principais praças europeias, suportada pelo sector financeiro e pelos pesos-pesados.

Na Europa, as praças terminaram com subidas oscilaram entre os 0,3% do
índice alemão e os 1,5% da bolsa espanhola, tal como no outro lado
do Atlântico em que as praças norte-americanas seguem igualmente em
terreno positivo.

A suportar os mercados
estiveram as medidas ontem anunciadas pelo Banco Central Europeu, de
cortar a taxa de juro e avançar com empréstimos de longo prazo com
o objetivo de estimular a economia da zona euro, bem como a
divulgação de indicadores económicos favoráveis, com destaque
para a criação de postos de trabalho e para a taxa de desemprego
nos Estados Unidos que manteve-se no valor mais baixo em quase seis
anos.

O PSI 20 fechou a
valorizar 1,51% para os 7.347,36 pontos, com 14 cotadas em alta e apenas 5 no vermelho.

A animar a praça lisboeta
estiveram as ações da banca, com o BES a disparar 3,5%, acompanhado pelo BCP que
ganhou 1,9%, e pelo BPI que subiu 1,2%.

Na base destes fortes ganhos está o facto de o Governo ter ontem
aprovado, em Conselho de Ministros, a possibilidade de os bancos
converterem em créditos fiscais os seus impostos diferidos.

Igualmente a suportar o
índice nacional estiveram os títulos com maior peso, com a Portugal Telecom a
progredir 5%, a beneficiar de uma nota de análise favorável, seguida pela EDP que
avançou 1,8%, e pela Galp Energia que
valorizou 0,3%.

Destaque ainda para a Mota-Engil que liderou os ganhos da sessão, ao disparar 9,3% para máximos de 2007, depois da construtora ter anunciado que ganhou um contrato de 3,5 mil milhões nos Camarões.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Utentes à saída de um cacilheiro da Transtejo/Soflusa proveniente de Lisboa, em Cacilhas, Almada. MÁRIO CRUZ/LUSA

Salário médio nas empresas em lay-off simplificado caiu 2%

Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. Fotografia: António Cotrim/Lusa

Empresas já podem candidatar-se ao novo lay-off

App TikTok

Microsoft estará interessada na compra da operação global do TikTok

Mota, PT e Banca disparam e levam PSI 20 a liderar subidas europeias