obrigações

Dívida da TAP atraiu mais de seis mil investidores

Fotografia: Regis Duvignau/ Reuters.
Fotografia: Regis Duvignau/ Reuters.

A transportadora aérea financiou-se em 200 milhões de euros em títulos a quatro anos.

A TAP alcançou o objetivo na emissão de obrigações. A transportadora aérea encaixou financiamento de 200 milhões de euros em obrigações que atingem a maturidade em 2023 e que pagam um juro ilíquido de 4,375%. O apetite por estes títulos levaram a empresa liderada por Antonoaldo Neves a aumentar o montante da operação dos 50 milhões previstos inicialmente para 200 milhões.

A empresa encaixou 105 milhões junto de investidores de retalho, segundo dados divulgados esta quarta-feira pela Euronext, a entidade que gera a bolsa portuguesa. Neste segmento a procura foi de 168 milhões de euros. Foi mais de 1,5 vezes o valor em oferta e mais oito vezes o objetivo inicial da TAP para a operação. Além do montante encaixado junto de pequenos investidores, a TAP obteve ainda 95 milhões junto de investidores profissionais e contrapartes elegíveis.

No segmento geral a maior parte dos investidores não foi além de investimentos de entre mil e cinco mil euros. Ainda na parte da operação destinada a pequenos investidores, houve 347 aforradores a aplicarem mais de 50 mil euros. No segmento da emissão dirigida a institucionais, houve 35 entidades a apostar em dívida da TAP, com valores acima dos 100 mil euros.

Capturar

A TAP refere que os 200 milhões encaixados pela empresa vão servir para “consolidar o passivo num prazo mais alargado através do refinanciamento de dívidas com vencimento próximo” e para o “financiamento da atividade corrente”.

As obrigações da companhia aérea vão começar a negociar em bolsa na próxima segunda-feira, 24 de junho. O coordenador da operação foi o Haitong. Já o ActivoBank, Banco Best, Banco Carregosa, Banco Montepio, Bankinter, CaixaBI, CCCAM, CGD, Haitong Bank, Millennium bcp e Novo Banco funcionaram como colocadores.

As empresas portuguesas estão a regressar ao mercado de dívida destinado a pequenos investidores, aproveitando o apetite dos aforradores por juros mais elevados numa era em que a maior parte das classes de ativos tem rentabilidades baixas. Além da TAP, decorre ainda a oferta de obrigações da SIC. A estação de Carnaxide promete juros de 4,50% em troca de 30 milhões de euros de financiamento a três anos.

Leia também: SIC arranca com emissão de 30 milhões. O que deve saber antes de investir

Notícia atualizada às 17:06

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Carlos Costa, governador do Banco de Portugal.
(Ângelo Lucasl / Global Imagens )

Costa pede mais reformas a Costa

Illu - Site-02

Viagens ao espaço deixam turismo com a cabeça na Lua

Illu - Site-02

Viagens ao espaço deixam turismo com a cabeça na Lua

Outros conteúdos GMG
Dívida da TAP atraiu mais de seis mil investidores