Dívida

Portugal vai emitir até 1.500 milhões em dívida de curto prazo

Cristina Casalinho, presidente do IGCP
Cristina Casalinho, presidente do IGCP

O IGCP anunciou dois leilões de Bilhetes do Tesouro a seis e 12 meses com o montante indicativo até 1.500 milhões de euros.

Portugal vai realizar na próxima quarta-feira, dia 18 de setembro, dois leilões de Bilhetes do Tesouro (BT), a seis e 12 meses, num montante até 1.500 milhões de euros.

“O IGCP (Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública) vai realizar no próximo dia 18 de setembro pelas 10H30 horas dois leilões das linhas de BT com maturidades em 20 de março de 2020 e 18 de setembro de 2020, com um montante indicativo global entre 1.250 milhões de euros e 1.500 milhões de euros”, anunciou o IGCP em comunicado.

Na passada quarta-feira, o Tesouro português conseguiu novos mínimos históricos no duplo leilão de dívida pública a 10 e 15 anos. O IGCP arrecadou um total de 1.000 milhões de euros junto dos investidores, o montante indicativo mínimo previsto nesta operação, em que a procura mais do que duplicou a oferta.

O Banco Central Europeu anunciou ontem mais um pacote de estímulos económicos com cinco ferramentas. A primeira das quais tem a ver com as taxas: o corte para os depósitos dos bancos é de 10 pontos base, de -0,4% para -0,50%. A taxa diretora mantém-se nos 0,0%. Mario Draghi não desiludiu os mercados e anunciou ainda que reinicia programa de compras de ativos em novembro.

Atualizada às 16H33

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Mário Centeno ladeado pelos representantes dos dois maiores credores de Portugal: Pierre Moscovici (Comissão) e Klaus Regling (ESM). Fotografia: EPA/JULIEN WARNAND

Centeno usa verbas da almofada de segurança para pagar aos credores europeus

Paulo Fernandes lidera o grupo Cofina. (Carlos Manuel Martins/Global Imagens)

Foto: Arquivo

Cofina quer TVI sem remédios

Paulo Fernandes lidera o grupo Cofina. (Carlos Manuel Martins/Global Imagens)

Foto: Arquivo

Cofina quer TVI sem remédios

Outros conteúdos GMG
Portugal vai emitir até 1.500 milhões em dívida de curto prazo