Bolsa

Praças europeias em alta à espera do orçamento italiano

As principais bolsas europeias estavam hoje em alta, à espera do novo projeto de Orçamento do Estado de Itália e de avanços das negociações do Brexit.

Cerca das 08:55 em Lisboa, o EuroStoxx 600 estava a subir 0,79% para 355,37 pontos.

As bolsas de Londres, Frankfurt e Paris avançavam 0,71%, 0,47% e 0,98%, respetivamente, bem como as de Madrid e Milão, que subiam 0,67% e 0,45%.

Depois de ter aberto em baixa, a bolsa de Lisboa mantinha a tendência e, cerca das 08:55, o principal índice, o PSI20, descia 0,06% para 4.988,97 pontos.

O prazo para Itália entregar a Bruxelas o novo projeto de orçamento de Estado para 2019 termina hoje.

O medo de novas tensões comerciais, uma possível desaceleração económica e a previsível subida das taxas de juro nos Estados Unidos em dezembro explicam as fortes quebras registadas em Wall Street na segunda-feira.

Em Nova Iorque, a bolsa de Wall Street terminou em forte baixa na segunda-feira, com o Dow Jones a cair 2,32% para 25.387,18 pontos, depois de ter subido em 03 de outubro para 26.828,39 pontos, atual máximo desde que foi criado em 1896.

No mesmo sentido, o Nasdaq fechou a recuar 2,78% para 7.200,07 pontos, depois de ter subido até aos 8.109,69 pontos em 29 de agosto, atual máximo de sempre.

A nível cambial, o euro abriu em alta no mercado de divisas de Frankfurt, a cotar-se a 1,1251 dólares, contra 1,1250 dólares na segunda-feira e depois de ter descido para mínimos desde junho de 2017 na véspera.

O barril de petróleo Brent para entrega em janeiro abriu hoje em baixa, a cotar-se a 69,44 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, menos 0,96% do que no encerramento da sessão anterior e depois de ter estado acima dos 85 dólares no início de outubro.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
The World Economic Forum, Davos
Fabrice COFFRINI/AFP

Líderes rumam a Davos para debater a nova desordem mundial

Mário Centeno

Privados pedem ao Estado 1,4 mil milhões de euros em indemnizações

Luis Cabral, economista.
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Luís Cabral: “Pobreza já não é só ganhar 2 dólares/dia”

Praças europeias em alta à espera do orçamento italiano