Bolsa

PSI20 acompanha bolsas europeias e sobe 0,59%

Fotografia: Paulo Spranger/Global Media
Fotografia: Paulo Spranger/Global Media

A bolsa de Lisboa encerrou em alta esta segunda-feira, alinhada com as principais praças europeias.

A bolsa de Lisboa encerrou em alta esta segunda-feira, alinhada com as principais praças europeias, registando uma subida de 0,59% para 4.136,58 pontos no índice PSI20.

Das 18 cotadas que integram o PSI20, nove subiram, oito desceram e uma terminou inalterada. A Corticeira Amorim liderou as subidas ao ganhar 2,84% para 9,05 euros.

Nas maiores subidas ficaram ainda a EDP Renováveis (2,08% para 10,82 euros), a Semapa (1,62% para 8,77 euros), a Sonae SGPS (1,61% para 0,69 euros), a EDP (0,82% para 3,80 euros) e a REN (0,82% para 2,47 euros).

A Galp avançou 0,51% para 9,46 euros, tendo anunciado antes da abertura do mercado que o seu lucro caiu 72% no primeiro trimestre do ano, para 29 milhões de euros, uma queda justificada pela empresa com as alterações no mercado provocadas pela pandemia de covid-19.

A Galp diz que a pandemia de covid-19 levou a uma quebra abrupta na procura e que, por isso, está a “desenvolver iniciativas que permitam a redução de mais de 500 milhões por ano em 2020 e em 2021 no investimento e despesas operacionais face ao plano de investimento anteriormente anunciado”.

Nas descidas, a Sonae Capital perdeu 1,46% para 0,47 euros, a Novabase recuou 1,17% para 2,53 euros, enquanto a Ibersol e a Mota-Engil cederam 0,75% e ficaram a valer 3,97 euros e 1,06 euros, respetivamente.

Com desvalorizações mais baixas, o BCP caiu 0,74% para 0,09 euros e a Jerónimo Martins desceu 0,25% para 15,70 euros.

As principais bolsas europeias terminaram a sessão com ganhos expressivos. Frankfurt avançou 3,13%, Milão 3,09%, Paris 2,55%, Madrid 1,78% e Londres 1,64%.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O ministro de Estado e das Finanças, João Leão, acompanhado pelo ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos (Foto: Mário Cruz/Lusa)

Recuperar poder de decisão na TAP obriga Estado a pagar mais

Humberto Pedrosa é o acionista do consórcio Gateway.

TAP: Humberto Pedrosa realça a não nacionalização da empresa

Fotografia: Regis Duvignau/Reuters

TAP: Sindicato do Pessoal de Voo espera que acordo proteja postos de trabalho

PSI20 acompanha bolsas europeias e sobe 0,59%