Mercados

PSI20 em terreno negativo com BCP e EDP a pressionarem as negociações

PSI 20 a descer
PSI 20 a descer

Sonae e NOS lideravam os ganhos, ao início da manhã

A bolsa de Lisboa segue em terreno negativo, contrariando a tendência das principais congéneres europeias, com o BCP e a EDP a pressionarem as negociações.

Pelas 08:50, o principal índice da bolsa de Lisboa, o PSI20, seguia a recuar 0,17% para 4.997,54 pontos, com 11 ações alta, cinco em baixa e duas inalteradas.

A Galp e a Pharol eram as ações que mais caíam, com os títulos a descerem 0,72% e 0,50% para 13,10 euros e 0,12 euros, respetivamente.

O BCP perdia também 0,49% para 0,20 euros.

Do lado dos ganhos, as ações que lideravam eram as da Sonae e da NOS, com avanços de 0,62% e 0,59% para 0,90 euros e 5,11 euros, respetivamente.

A EDP subia, por sua vez, 0,18% para 3,43 euros e a Jerónimo Martins avançava 0,16% para 15,79 euros.

As principais bolsas europeias estavam em alta, à espera de novas medidas do Banco Central Europeu (BCE) para relançar a economia na sequência da reunião de política monetária hoje.

Seis semanas após ter sugerido uma panóplia de medidas de estímulo, o BCE é forçado a agir hoje, apesar dos debates internos, já que o contexto económico continua febril, referem analistas citados pela AFP.

O presidente do BCE, Mario Draghi, participa pela penúltima vez na reunião de política monetária – a última será em 24 de outubro – antes de passar o cargo no final do mês à francesa Christine Lagarde, depois de oito anos de mandato marcado por crises.

Os investidores também estão atentos às negociações comerciais entre Washington e Pequim, que alegadamente estarão a avançar.

O barril de petróleo Brent para entrega em novembro abriu hoje em alta, a cotar-se a 61,16 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, mais 0,35 dólares do que no fim da sessão anterior.

O barril de petróleo Brent esteve acima dos 85 dólares no início de outubro do ano passado.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Diretor-geral da fábrica da PSA Mangualde, José Maria Castro, fotografado na linha de montagem. (Fernando Fontes / Global Imagens )

Futuro da PSA Mangualde depende de apoio do Governo a projeto de 18 milhões

O presidente do Conselho de Administração e Administrador-Delegado do Grupo Jerónimo Martins, Pedro Soares dos Santos. Inácio Rosa / Lusa

“Continuo muito cético”, diz Soares dos Santos em relação à economia portuguesa

Hebe

Jerónimo Martins expande marca Hebe para Eslováquia e República Checa

PSI20 em terreno negativo com BCP e EDP a pressionarem as negociações