Mercados

PSI20 segue a cair 0,71% invertendo a tendência da abertura

Bolsas afundam e juros disparam

Galp, Mota-Engil e BCP são os títulos que mais pressionam as negociações

A bolsa de Lisboa seguia, nesta quinta-feira, a cair 0,71%, entre uma Europa em baixa, invertendo a tendência da abertura, com as ações da Galp e do BCP a pressionarem as negociações.

O principal índice de referência, o PSI20, seguia a recuar 0,71% para 4.932,73 pontos, com oito empresas em alta, oito em baixa e duas inalteradas.

A Galp seguia a recuar 0,94% para 12,63 euros, seguida da Mota-Engil que descia 0,83% para 1,31 euros, enquanto o BCP recuava 0,64% para 0,16 euros.

A Jerónimo Martins seguia a recuar 0,18% para 16,42 euros.

Do lado dos ganhos, a Pharol e a Nos eram as ações que mais subiam, com ganhos de 0,83% e 0,67% para 0,08 e 3,61 euros.

A EDP avançava 0,06% para 4,70 euros.

Lisboa seguia alinhada com as principais bolsas europeias, que estavam hoje em baixa, depois de terem também aberto em alta, sustentadas pelos ganhos registados em Wall Street na quarta-feira.

As bolsas de Londres, Paris e Frankfurt recuavam 0,51%, 0,17% e 0,19%, respetivamente, bem como as de Madrid e Milão, que se desvalorizavam 0,21% e 0,44%.

Wall Street registou fortes ganhos porque os investidores ficaram animados com a subida do candidato norte-americano, Biden, nas primárias democratas.

Os investidores continuam muito pendentes da propagação do coronavírus e das medidas que diferentes organismos têm estado a anunciar para atenuar os seus efeitos económicos.

Depois da Reserva Federal dos Estados Unidos (Fed) ter baixado de surpresa as taxas de juro na terça-feira, na quarta-feira a medida também foi seguida pelo Banco do Canadá e pelo banco central australiano.

Os investidores agora esperam que o Banco de Inglaterra e o Banco Central Europeu (BCE) anunciem em breve medidas similares para combater as repercussões económicas da epidemia do coronavírus.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) baixou na quarta-feira as previsões de crescimento para níveis abaixo dos 2,9% registados em 2019 e na Europa, os países da União Europeia asseguraram que estão prontos para adotar as ações necessárias, incluindo medidas orçamentais, para enfrentar a epidemia do coronavírus.

Na quarta-feira, a bolsa de Nova Iorque terminou com o Dow Jones a subir 4,53% para 27.090,86 pontos, contra 29.551,42% em 12 de fevereiro, atual máximo desde que foi criado em 1896.

No mesmo sentido, o Nasdaq fechou a avançar 3,85% para 9.018,09 pontos, contra o atual máximo de 9.817,18 pontos em 19 de fevereiro.

A nível cambial, o euro abriu hoje em alta no mercado de câmbios de Frankfurt, a cotar-se a 1,1129 dólares, contra 1,1124 dólares na quarta-feira e 1,0792 dólares em 19 de fevereiro, atual mínimo desde abril de 2017.

O barril de petróleo Brent para entrega em maio de 2020 abriu hoje em alta, a cotar-se a 51,45 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, contra 51,13 dólares na quarta-feira e 49,67 dólares, mínimo em 28 de fevereiro.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
(Rui Oliveira / Global Imagens)

Marcas aceleram nas promoções para tirar travão nas vendas

Fotografia: Gonçalo Delgado/Global Imagens

Resposta à pandemia traz riscos de má gestão e corrupção do dinheiro público

Restauração recuperou volume de negócios

CIP: 61% das empresas ainda não recebeu financiamento

PSI20 segue a cair 0,71% invertendo a tendência da abertura