PSI20 sobe 0,49% no segundo dia consecutivo de ganhos

Das 18 cotadas que integram o índice PSI20, 12 subiram e seis desceram. A Jerónimo Martins, dona dos supermercados Pingo Doce, liderou as subidas. Nas descidas, foi a EDP Renováveis que se destacou.

A bolsa de Lisboa encerrou esta quinta-feira no 'verde' pela segunda sessão consecutiva, tendo o seu principal índice (PSI20) subido 0,49% para 5.119,48 pontos, em linha com os índices de referência europeus.

Das 18 cotadas que integram o índice PSI20, 12 subiram e seis desceram.

A Jerónimo Martins, dona dos supermercados Pingo Doce, liderou as subidas com um ganho de 3,67% para 17,10 euros, depois de ter divulgado na quarta-feira, após o encerramento do mercado, que alcançou 186 milhões de euros de lucro no primeiro semestre, mais 78,9% do que em igual período do ano anterior.

Com subidas acentuadas terminaram ainda a Ramada Investimentos (3,45% para seis euros), a Ibersol (3,17% para 5,86 euros) e a Sonae SGPS (2,30% para 0,82 euros).

O BCP avançou 1,66% para 0,12 euros e a Galp somou 0,52% para 8,47 euros.

Nas descidas, a EDP Renováveis destacou-se ao perder 2,27% para 20,70 euros. Na quarta-feira, a empresa anunciou que obteve resultados líquidos de 142 milhões de euros na primeira metade deste ano, menos 44% do que no mesmo período de 2020.

A Semapa caiu 2,23% para 11,40 euros e a Altri cedeu 1,11% para 5,36 euros.

A Altri reportou, depois do encerramento da bolsa, lucros de cerca de 44,8 milhões de euros no primeiro semestre, o que representa uma subida de 384,8% face aos 9,3 milhões registados no mesmo semestre do ano passado.

Com desvalorizações abaixo de 1% ficaram a NOS (-0,76% para 3,14 euros), a EDP (-0,58% para 4,48 euros) e a REN (-0,42% para 2,36 euros).

Já após o fecho do mercado, a EDP indicou que os seus lucros cresceram no primeiro semestre 9%, atingindo 343 milhões de euros, um resultado que, excluindo efeitos não recorrentes, diminui 15% para 326 milhões de euros.

A REN também comunicou ao mercado, ao final da tarde, que teve 39,5 milhões de euros de lucro nos primeiros seis meses do ano, menos 14,2% do que em igual período do ano anterior.

No resto da Europa, Milão avançou 1,01%, Londres 0,88%, Madrid 0,60%, Frankfurt 0,45% e Paris 0,37%.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de