Empresas

Science4you: Vamos continuar a apostar no comércio eletrónico

Miguel Pina Martins, CEO da Science4You. Foto: REUTERS/Rafael Marchante
Miguel Pina Martins, CEO da Science4You. Foto: REUTERS/Rafael Marchante

A empresa portuguesa de brinquedos assegura que, apesar do cancelamento da operação de entrada em bolsa, não vai desistir da aposta no comércio eletrónico.

A Science4you, empresa portuguesa de brinquedos didáticos, cancelou a operação de entrada em bolsa devido à fraca procura que estava a registar. Apesar de o desfecho não ser o esperado, a empresa não vai baixar o braços e admite que, no futuro, poderá voltar a percorrer esta via. “Não é um adeus. É um até já porque achamos que é possível. [Embora] não neste momento”, disse ao Dinheiro Vivo Miguel Pina Martins, CEO da Science4you.

Um dos objetivos da entrada em bolsa era obter financiamento para suportar uma aposta mais forte no comércio eletrónico. Apesar dessa porta estar agora fechada, a companhia não quer desistir desse objetivo. “Vamos continuar a apostar no comércio eletrónico. Não será com uma burn rate [valor gasto] tão forte como estaria previsto mas o comércio eletrónico continua a ser a prioridade, o caminho e o futuro da indústria dos brinquedos. Não vamos descurar essa parte como não temos vindo a descurar”, garante.

Deste processo de preparação para dispersão em bolsa, Miguel Pina Martins tirou algumas lições. “Aprendi a como se fazer um IPO – ou como não fazer; Aprendi muito sobre o mercado de capitais e que o timming do mercado de capitais é mesmo fundamental. E aprendi que um dia que tenhamos de voltar [a fazer uma operação para entrar em bolsa] vai ser tudo mais simples”.

A Science4you nasceu em janeiro de 2008, fruto de um projeto académico de Miguel Pina Martins. São acionistas da empresa o Millennium Fundo de Capitalização, com 28,18% do capital, Miguel Martins, com 27,24%, e a Portugal Ventures, que através de diversos veículos detém 34,88%.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(EPA/ALEXANDER BECHER)

Ainda há 17 mil automóveis do grupo Volkswagen por reparar

Fotografia: Mário Ribeiro

Antigo ministério da Educação vai ter 600 camas para estudantes

Fotografia: José Sena Goulão / Lusa

BES: Último grupo de lesados mais perto de receber compensação

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Science4you: Vamos continuar a apostar no comércio eletrónico