Sodim mantém preço da OPA sobre a Semapa

A Sodim, 'holding' da família Queiroz Pereira, comunicou hoje ao mercado que vai manter o preço a pagar por ação em 11,66 euros, em dinheiro, na sequência da prorrogação da Oferta Pública de Aquisição (OPA) lançado sobre a Semapa.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Sodim "reitera que se mantém o que já havia transmitido ao mercado relativamente ao valor da contrapartida, continuando o preço por ação a pagar pela Sodim no âmbito desta sua oferta a ser de Euro11,66, em dinheiro, por ação, o qual corresponde ao valor da contrapartida desta oferta de Euro12,17 por ação, deduzido do dividendo, entretanto, já pago de Euro0,512 por ação".

A 'holding' da família Queiroz Pereira também pediu a prorrogação até 04 de junho do período da Oferta Pública de Aquisição (OPA) que lançou sobre a Semapa e que terminava hoje.

"Na presente data, a Sodim, SGPS, S.A, na qualidade de oferente, remeteu à Semapa, na qualidade de sociedade visada, informação ao mercado relativamente à prorrogação do período da oferta pública geral e voluntária de aquisição sobre as ações ordinárias representativas do capital social da Semapa", lê-se num comunicado enviado hoje pela Semapa à CMVM.

Em comunicado, a Sodim informa que "solicitou à CMVM uma prorrogação do período da Oferta, por forma a que esta se mantenha em vigor até ao próximo dia 04 de junho de 2021, altura em que já serão do conhecimento de todo o mercado e, em particular, dos investidores em ações Semapa dos resultados referentes ao primeiro trimestre de 2021 da Semapa e da Navigator".

A 'holding' diz que "a CMVM solicitou à Semapa que fossem divulgadas as perspetivas financeiras relativas ao primeiro trimestre do ano antes do encerramento da oferta pública geral e voluntária de aquisição que a Sodim lançou sobre a Semapa", registada em 26 de abril e cujo prazo de aceitação terminaria hoje.

Contudo, refere, "a Semapa não dispõe de condições para poder divulgar as perspetivas de evolução da sua situação financeira face às últimas contas publicadas antes de divulgar o conteúdo integral das respetivas contas trimestrais, o que apenas poderá ter lugar quando estas forem aprovadas pelo respetivo Conselho de Administração, facto que irá ocorrer [...] no próximo dia 31 de maio".

Conforme explica a Sodim, esta impossibilidade resulta do facto de na primeira quinzena de abril, ainda antes do registo da OPA, a Navigator e a Semapa terem fixado os dias 28 e 31 de maio como "as datas possíveis para aprovação e divulgação, pelos órgãos competentes, dos seus documentos de prestação de contas trimestrais".

Isto "tendo presente os respetivos processos internos de elaboração e aprovação de tais documentos, nos quais são consolidados os resultados de conjuntos vastos de sociedades que integram os respetivos universos".

Face à prorrogação do período da OPA até 04 de junho, a data-limite para revogação das declarações de aceitação passa a ser 01 de junho, a de apuramento dos resultados da oferta é fixada em 07 de junho e a liquidação física e financeira da OPA acontecerá a 09 de junho.

Em 19 de fevereiro, a Semapa anunciou que a 'holding' da família Queiroz Pereira -- a Sodim --pretendia lançar uma OPA "geral e voluntária" sobre as ações que não detém na empresa.

A Sodim detinha nessa altura (através da sua subsidiária Cimo - Gestão de Participações) 71,906% do capital social da Semapa, correspondentes a 73,167% dos direitos de voto, mas na passada sexta-feira anunciou ter adquirido em bolsa mais 118.231 ações, representativas de 0,145% do capital social do grupo.

No dia 05 de março, o Conselho de Administração da Semapa considerou que a oferta lançada pela Sodim "é oportuna" e apresenta condições "adequadas", não se antevendo alterações da situação dos trabalhadores, 'stakeholders' ou finanças da empresa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de