Sonae e BPI terminam 'Equity Swap' com quase 14 anos sobre ações da multinacional

De acordo com a informação remetida à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), em causa está o "cash settled equity swap", celebrado em 15 de novembro de 2007.

A Sonae Investments e o BPI terminaram um acordo, que durava desde 2007, relativo ao capital da Sonae SGPS, passando a empresa agora a deter a participação de 4,26%, foi esta terça-feira comunicado ao mercado.

De acordo com a informação remetida à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), em causa está o "cash settled equity swap", celebrado em 15 de novembro de 2007, entre a Sonae Investments e o BPI, abrangendo, atualmente, 86.146.422 ações da Sonae, representativas de 4,26% do capital social.

Em 20 de outubro de 2020, o Jornal Económico avançou que o acordo tinha sido renovado, automaticamente, até novembro de 2021.

Através deste acordo, a Sonae Investments assumia o risco dos títulos adquiridos pelo banco, apesar dos direitos de voto que este detinha.

A Sonae e o BPI acordaram na aquisição do portfólio de ações da própria Sonae detidos pelo BPI, para cobertura do "cash settled equity swap", totalizando 86.146.422 ações, pelo preço unitário de 0,8955 euros, conforme deliberado na Assembleia-Geral de acionistas de 30 de abril do corrente ano.

Na sequência desta operação, a Sonae SGPS passou a deter 86.146.422 ações próprias, correspondentes a 4,26% do seu capital social.

A informação enviada ao mercado ressalvou que, apesar da cessação do acordo e da aquisição do portfólio de ações da Sonae, não vão ser verificados impactos no lucro na empresa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de