Uber estreia em bolsa a 45 dólares por ação

A empresa de transporte levantou 8,1 mil milhões de dólares na oferta pública inicial, tendo vendido 180 milhões de ações a 45 dólares cada.

A Uber levantou 8,1 mil milhões de dólares (cerca de 7,1 mil milhões de euros) na sua oferta pública inicial (IPO na sigla em inglês). Na operação foram vendidas 180 milhões de ações, a 45 dólares cada, de acordo com o comunicado, citado pela Bloomberg. A venda das ações ficou assim próxima do intervalo mínimo traçado pela firma, que era entre 44 e 50 dólares.

Com esta operação de entrada em bolsa, a Uber fica com um valor de mercado de 75,5 mil milhões de dólares (67,3 mil milhões de euros no câmbio atual).

A Uber deu prioridade a um conjunto de acionistas – em particular investidores institucionais – por acreditar que vão ficar com os títulos em carteira por um período de tempo mais alargado, de acordo com fontes da agência de informação. “Vemos o preço conservador da Uber como uma estratégia prudente e inteligente, fora da caixa, que mostra que claramente aprenderam com 'o irmão mais novo' Lyft, e pela experiência que passou no último mês”, disse Dan Ives, analista da Wedbush Securities.

“Há procura por parte dos investidores por este tipo de negócios que são inovadores e criam novas economias, que estão a mudar a forma como conduzimos e a mudar a forma como trocamos ideias, mas uma euforia”, nota Jordan Stuart, gestor de portefólio na Federated Kaufmann, citado pelo Financial Times. Os responsáveis da Uber estão empenhados em não seguir o mesmo destino que a concorrente Lyft.

A Lyft, que apenas opera no mercados americano e do Canadá, estreou-se no passado mês de março, tendo levantado 2,3 mil milhões de dólares, tendo a empresa ficado com uma avaliação de 24 mil milhões de dólares (21,4 mil milhões de euros). Desde então, as ações da empresa têm estado a negociar abaixo do preço do IPO – 72 dólares por ação – com os investidores a manifestarem os seus receios em torno da falta de lucros da empresa.

“A equipa da Uber está a jogar um jogo de longo prazo com a sua estratégia de preço”, disse ao FT Eric Kim, da Goodwater Capital. “Eles estão a tentar ter os acionistas certos que vão ficar com eles a longo prazo, por isso estão a colocar um preço nas ações mais atraente”.

A Uber anunciou recentemente que em 2018 obteve uma faturação de 11.270 milhões de dólares e lucros de 997 milhões de dólares. Contudo, o resultado de exploração ajustado – que inclui os custos de depreciação e de amortização - , foi negativo, de 1.850 milhões de dólares.

A Uber vende como principais atrativos a sua tecnologia pioneira e a gigantesca rede internacional, que inclui 91 milhões de utilizadores em 700 cidades em 63 países. A empresa tem quase quatro milhões de condutores que cobrem 17 milhões de viagens por dia, mas tenta atrair os investidores com um elevado potencial de crescimento ao sublinhar que apenas 2% da população dos países onde opera utilizou a aplicação.

O número de empregados da Uber em todo o mundo passou de 159 em dezembro de 2012 para 22.263 no final de 2018. Além do negócio de transporte de passageiros, a Uber apresenta -se como uma empresa em constante mudança, aberta à diversificação e promete continuar a oferecer novas plataformas.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de